As bikes speed são as melhores opções para os ciclistas de estrada, ajudando a atingir alta velocidade, com a segurança necessária. Embora elas não sejam tão comuns quanto as mountain bikes, a cada dia se tornam mais presentes nos pedais dos ciclistas brasileiras.

Quem ama adrenalina e muita velocidade, com certeza vai adorar entrar no mundo do ciclismo de estrada. E para lhe ajudar a entender melhor sobre essa verdadeira máquina de corrida, montamos esse conteúdo completo. Confira!

O que é uma bike speed?

A bike speed é aquela desenhada exclusivamente para a velocidade. Por isso, ela conta com uma aerodinâmica diferenciada e é muito mais leve do que uma bike de MTB, por exemplo.

Como ela é construída para altas velocidades, não é uma das bikes mais confortáveis. Seu selim é estreito, assim como seu pneu – e para quem nunca pedalou nesse tipo de bicicleta, pode ser necessário um pequeno período de adaptação.

Tipos

Essa bicicleta pode ser usada tanto no ciclismo de estrada, como em provas de velocidade. Por isso, quando falamos em bikes speed, podem existir variações. Algumas opções são:

  • Bikes Aero: são bicicletas aerodinâmicas, com tubos em formatos desenhados para cortar o vento e oferecer o melhor desempenho em trechos planos de alta velocidade. Possui quadro com tubos largos e, algumas vezes, rodas com aros de perfil alto (até 60mm) que ajudam a cortar melhor o ar. São bikes mais pesadas, menos confortáveis e não indicadas para trechos com muitas subidas.
  • Bikes Race: tem um mix de qualidades que tornam essa bike perfeita para diferentes terrenos. São muito leves, com tubos estreitos, rodas mais baixas (entre 30 a 50 mm), pedalada mais agressiva e um pouco mais de conforto.
  • Bikes Endurance: têm uma geometria que favorece o conforto, ideal para ciclistas de longa jornada. Suas características são pneus mais largos, quadros capazes de filtrar trepidações e opções com furações para instalação de para-lamas e bagageiro (ideal para cicloviagens).
  • Bikes de Contra Relógio (TT): foi criada para furar o vento. Existem opções de estrada e de velódromo. São bikes projetadas para pedalar no plano e, preferencialmente, em linha reta. Nunca devem ser usadas em pelotões.
  • Bikes de Cyclo-Cross: desenhadas para as competições de cyclo-cross, que envolvem o pedal em diferentes terrenos e obstáculos. Essa bike deve se sujeitar as regulamentações da UCI, com pneus que não ultrapassem 33mm, por exemplo.
bicicleta speed

 

Como avaliar as bikes speed na hora de comprar?

Na hora de avaliar as diferentes opções de bikes speed, é importante considerar quais são seus objetivos enquanto ciclista e o nível em que você se encontra. Se você não tem certeza se irá curtir o ciclismo de estrada, por exemplo, vale a pena começar com uma bike mais simples – e, caso curta, ir equipando a magrela ou até trocar por um modelo melhor.

Veja alguns pontos que você pode analisar na hora de encontrar a magrela certa.

Rodas e pneus

As bikes de speed têm, por padrão, a medida tradicional de rodas de 700 mm (conhecido, apenas, como 700 ou 700cc). Assim, o que mudará serão só as marcas, dependendo do modelo e da marca da sua bike.

Os pneus são itens importantíssimos de serem avaliados, porque eles estão diretamente ligados à segurança do ciclista. Como as rodas são de 700 mm, os pneus ideais são os 700. A largura, no entanto, pode variar entre 22mm a 45mm. Quanto mais fino ele for, mais rápido e leve será, porém estará mais suscetível a furos e cortes. Considere o padrão da estrada onde irá pedalar.

Outro ponto a analisar é a banda de rodagem (a parte do pneu que tem contato com o solo). O pneu de speed é mais liso.

Quadro

O quadro de uma speed é projetado focado na performance, por isso tem uma aerodinâmica diferenciada e é mais leve. Você poderá encontrar opções de alumínio ou de fibra de carbono.

Os quadros de alumínio têm peso baixo e boa resistência, sendo os mais usados nas bikes de entrada, por terem um valor mais atraente. Já os quadros de fibra de carbono são mais leves e bem duráveis, sendo perfeitos para ciclistas mais avançados e que desejam melhorar sua performance.

Como as bikes de speed não têm suspensão, uma vantagem da fibra de carbono é que ela ajuda na absorção de impacto, tornando a bike um pouco menos dura.

Em relação ao formato, você encontra quadros:

  • tradicionais: geometria mais antiga, usada até a década de 90, com o top tube horizontal (paralelo ao solo).
  • sloping: é o mais usado atualmente, com o top tube levemente inclinado, com a parte próxima ao selim mais baixa que a do lado do guidão. Isso gera um quadro mais leve, com centro de gravidade mais baixo e com comportamento melhor em acelerações, subidas, variações de velocidade, saídas de curvas, entre outros.

Além disso, o quadro também pode variar dependendo do modelo de bikes speed que você está comparando.

Não se esqueça que o tamanho do quadro deve ser compatível com o seu tamanho. Verifique a altura do cavalo e a distância das solas dos pés até a região apoiada no selim. Lembre-se que as medidas dos quadros não são ajustáveis (como a altura do banco), então escolher o tamanho certo é importantíssimo para um pedal confortável.

Para lhe ajudar, você pode usar a tabela abaixo:

  • ciclistas que medem entre 1,5m a 1,6m: quadro tamanho 48;
  • ciclistas que medem entre 1,6m a 1,7m: quadros tamanhos 50, 52 ou 54;
  • ciclistas que medem entre 1,7m a 1,8m: quadros tamanhos 54, 55 ou 56;
  • ciclistas que medem entre 1,8m a 1,9m: quadros tamanho 57 ou 58;
  • ciclistas que medem entre 1,9m a 2m: quadros 60 a 62.

Materiais e qualidade das peças da bike

Se você é um ciclista com experiência e deseja montar uma bike com foco em ganhar velocidade, é importantíssimo que as peças sejam leves. Claro, não se esqueça que elas também devem ser de qualidade.

Geralmente, as mais baratas são modelos de entrada (que podem ser muito úteis para quem está começando). Alguns componentes importantes são:

  • transmissão: as bikes speed, normalmente, têm menor relação de marchas, que pode ser tranquilo para iniciantes, mas deixar a desejar para ciclistas mais experientes. Os modelos de entrada costumam ter de 7 a 8 velocidades, já as mais avançadas podem ter de 9 a 11 velocidades;
  • trocadores: atualmente as bikes speed têm, no mesmo manete, acionamento do freio e trocador, são os manetes duplos (modelos STI). Eles são ótimos para uma troca de marcha mais rápida e segura;
  • pedivela: os modelos para speed possuem 2 coroas, com variações de 50 a 53 dentes e uma coroa menor com 34 a 39 dentes;
  • cassetes: segue a mesma linha do câmbio traseiro com 7 a até 11 velocidades. Os cassetes de speed são identificados pela quantidade de dentes da menor e da maior engrenagem, por exemplo 12-32. É a quantidade de engrenagens e o tamanho do cassete que determinará se a pedalada será mais leve ou mais pesada, ideal para subidas ou descidas;
  • correntes: os modelos podem variar dependendo do tipo de cassete, câmbio e pedivela;
  • pedal: os modelos de clip são os mais usados. Eles são leves, aerodinâmicos e, junto das sapatilhas, formam a dupla ideal para o bom desempenho;
  • freios: o modelo ferradura é o mais usado. Nesse caso é importante avaliar a qualidade dos componentes, já que os freios de speed são importantíssimos para a segurança. Os modelos atuais contam com freios a disco, que oferecem uma frenagem melhor e mais segura, porém, pode adicionar um pouco mais de peso à bike;
  • selim: deve ser leve e de formato estreito. É importante escolher um modelo adequado ao seu biótipo.

Qual a melhor speed de entrada?

Existem várias bikes speed excelente para quem está começando a se aventurar na modalidade. Veja algumas opções que separamos:

  • Soul 1R1: quadro e garfo em alumínio, grupo Shimano Claris, com 16 velocidades, componentes em alumínio (mesa, guidão, canote e rodas) da marca Brave (que preza pelo baixo peso mesmo em equipamentos de entrada), selim Prologo (fino e muito leve) e rodas montadas em pneus Vittoria 700×25.
  • Oggi Velloce Disc: possui freios mecânicos a disco, quadro em alumínio, garfo em fibra de carbono, grupo Shimano Claris de 16 velocidades, rodas com raios em aço inox e pneus Kenda 700×25.
  • Caloi Strada: quadro e garfo em alumínio 6061 (uma das melhores ligas do metal), grupo Shimano Claris com 16 velocidades, pedivela FSA, pneus Continental 700×23 e freios ferradura.

Qual a velocidade máxima de uma bicicleta speed?

A velocidade máxima de uma bicicleta speed depende muito do ciclista, da bike e do terreno. Para você ter uma ideia, o recorde pertence a americana Denise Mueller Korenek, que atingiu 296 km/h, em Boneville, Utah. A marca anterior pertencia ao holandês Fred Rompelberg que tinha atingido 269 km/h.

E aí, gostou de conhecer melhor as bikes speed? Aproveite e veja nosso artigo com as 9 melhores marcas de bike speed!

seguro de bike