Se as fat bikes pegaram mesmo aqui no Brasil, a Specialized soube aproveitar esse momento e criou seu modelo. A bike Fat Boy, nome sugestivo e marcante para o exemplar, mostra que a modalidade está bem representada. E essa bicicleta guarda bons motivos para provar isso.

A Specialized é uma das maiores fabricantes do mundo das bikes. A marca tem tradição e foi a responsável por fabricar a primeira mountain bike propriamente dita produzida em série. Em 1981, a Specialized Stumpjumper veio ao mundo com o melhor que a época poderia oferecer em tecnologia.

E hoje a história da Specialized continua. A Fat Boy de 2020 traz o melhor das novas tecnologias para bicicletas, em um modelo que já se tornou um ícone e marca essa nova fase do MTB mundial. E você vai conhecer tudo sobre ela neste post!

Confira tudo sobre a bike Fat Boy, da Specialized

Quadro

A alma da bike Fat Boy foi caprichada. O modelo é feito no já lendário alumínio M5, desenvolvido pela marca há mais de 15 anos e usado nos seus melhores modelos.

Basicamente, a liga é uma das mais leves e de perfil competitivo no mundo do MTB. O que faz da bike Fat Boy, uma fat bike preparada para diversão em alta performance.

Pontos altos do quadro além do tipo de liga são o cabeamento interno, a caixa de direção do tipo cônica — mais larga. Além disso, o eixo traseiro do tipo boost e os chainstays — tubos do quadro na parte traseira — mais curtos, colaboram para ganhar mais agilidade.

Garfo

A Specialized queria fazer algo único quando criou a bike Fat Boy. Talvez por isso empregou no modelo, um garfo rígido de fibra de carbono, incluindo a espiga. O que fez a bicicleta ser fat no nome, mas magrinha no peso.

A bike Fat Boy tem cerca de 14.18 Kg no tamanho M, o que a faz leve para uma bicicleta do tipo. Esse diferencial proporciona uma pilotagem ainda mais forte, especialmente em subidas e retas.

No mais, o garfo de fibra de carbono tem o eixo do tipo boost, fazendo o conjunto todo ganhar muita rigidez em qualquer terreno.

Relação

Buscando ter um peso leve e boa combinação de marchas para vários terrenos, a Specialized escolheu o grupo Sram SX de 12 velocidades para a bike Fat Boy.

Esse padrão de jogo de marchas é cada vez mais empregado no MTB, e dá mais do que a conta de um pedal em fat bikes.

O destaque da combinação entre a Sram e a Specialized fica por conta do pedivela. O modelo é do tipo DUB, que funciona em três peças desmontáveis — coroa, e braços do pedivela.

Specialized Fat Boy 2020Créditos: Specialized

Pneus

O jogo de conforto, absorção de impactos, tração e rolagem é desempenhado pelos pneus Maxxis Minion medida 27.5 X 3.8. Vale reforçar que mesmo nesse tamanho de aro, como os pneus são muito altos, a bike fica comparável a uma aro 29.

O diferencial desse modelo da Maxxis é que existe tanto o pneu Minion para a traseira quanto um exclusivo para a dianteira. Com desenhos de cravos espaçados e reforçados nas laterais, eles oferecem tração e alto desempenho.

Mais um ponto bastante positivo desse modelo de pneu é que eles têm 120 TPI — uma trama muito forte e que garante um pneu mais leve e macio.

Rodas

Aros, raios e cubos são da Stout, própria marca de componentes da Specialized. O material usado para os aros é alumínio, trabalhado nos 76mm que vestem os largos pneus da Maxxis.

Já os raios são em aço inox na cor preta, combinando com os aros e a aparência mais agressiva da bike. São ao todo 32 raios tanto na traseira quanto na dianteira.

Por último, os cubos são bem largos e nos padrões 15X150mm na dianteira, e 12x197mm na traseira. Essas medidas são para dar conta da largura do quadro e dos eixos boost.

No mais, se você quiser fazer um upgrade na bike Fat Boy que ajuda a deixá-la mais leve, pode usar o kit de conversão para tubeless. Tanto os pneus como as rodas são prontas para esse up.

Freios

Os freios que a bike Fat Boy usa acompanham o padrão do jogo de marchas da Sram. As pinças e manetes hidráulicos Sram Level T atendem às frenagens que essa bicicleta precisa, sem perder força.

Para acompanhar o par de freios da Sram, a roda dianteira equipa um disco de 200mm e a traseira de 180mm. Um padrão que mostra que você pode colocar giros altos na fat bike, que ela vai parar assim que encostar o dedo no manete.

Guidão, Mesa, Canote e Selim

A Specialized Fat Boy também usa o guidão, mesa e o canote de sua própria marca de componentes.

O avanço de guidão é do tipo de quatro parafusos e com 7º graus de rise — ângulo. Já o guidão traz um ângulo que mistura o estilo de bicicletas de cicloviagens com mountain bikes.

A peça tem 9º graus de backsweep, ou seja, o ângulo que ele é colocado para mais perto do piloto. E apenas 5º levantado, para dar uma pilotagem mais agressiva.

No mais, o guidão tem suficientes 780mm de comprimento, que permitem boa pilotagem em alta velocidade.

Por fim, o canote é simples, em alumínio do tipo reto e com microajuste. Um detalhe é que como o quadro tem cabeamento interno, um upgrade para um canote retrátil pode ser feito, ajudando a ganhar mais performance. O controle fica por conta da trava remota instalada no guidão.

A bike Fat Boy mostra que é muito atual e que vai permanecer no cenário de MTB e fat bikes com boa qualidade durante bastante tempo. Muitas das tecnologias colocadas no modelo são as novas tendências que já tomaram de vez o mercado de bikes. E claro, que milhares de ciclistas já aprovaram e não abrem mais mão.

Está de olho em bicicletas do tipo fat bike? Vem dar uma olhada nos classificados da Bike Registrada, onde você negocia, compra e vende bikes novas e usadas direto com quem é ciclista, em uma rede especializada!

seguro de bike