Não é novidade que uma bike pode ser aprimorada adicionando um motor. De fato, as primeiras Harley Davidson pareciam mais uma bicicleta com motor do que uma motoca atual. Porém, a tecnologia evoluiu e hoje é muito simples transformar uma bike convencional em elétrica.

Boa relação custo-benefício, facilidade de instalação, velocidade, potência e cuidado com o meio ambiente são algumas das razões pelos quais vemos cada vez mais bicicletas com esses upgrades.

Se você está pensando em transformar sua bike ou nunca ouviu falar disso e despertou seu interesse, leia este post e descubra as melhores e mais modernas opções disponíveis do mercado.

A evolução das bikes elétricas

Já viu alguém andando velozmente numa bike elétrica e pensou: “Que bacana! Quero fazer isso na minha bicicleta”?

Porém, muitos modelos de motores ou bikes elétricas acabam sendo pesados demais, caros ou apresentam muitas dificuldades para sua instalação.

No entanto, a tecnologia avançou e agora é possível adquirir motores elétricos ligeiros que podem ser instalados em poucos minutos e não precisam de cabos.

Assim, hoje em dia é muito fácil otimizar e transformar uma bike convencional em elétrica adicionando um motor elétrico. As vantagens são várias:

  • Baixo custo de manutenção.
  • Instalação fácil e prática.
  • Dá para continuar andando quando estamos cansados ou reduzir o esforço em face de certas condições, como vento forte.
  • Dispositivo leve e pequeno.
  • Menos poluição e geração de tráfego.
  • Mais velocidade e potência ao carregar peso ou ao andar em terrenos difíceis como ladeiras desafiadoras, tão comuns no Brasil.

Como transformar uma bike convencional em elétrica?

Foto: Mountain Bike Elétrica

Entre os modelos mais inovadores e funcionais destacam-se GeoOrbital e Rubee.

A GeoOrbital consiste numa roda que substitui a roda dianteira, e coloca o motor e a bateria no espaço onde ficariam os raios. Engenhoso, certo?

Conta com motor elétrico de 500w, uma bateria removível de lítio de 36v, conexão USB para carregar seus dispositivos enquanto pedala, autonomia de até 50 km, velocidade de até 32 km/h e não requer ferramentas para sua instalação. 

Pode ser instalado literalmente em 1 ou 2 minutos em bicicletas de 26 e 29 polegadas e leva de 3 a 4 horas para carregar. A roda é feita de um material de espuma sólida resistente a furos.

O Rubee, por outro lado, é um dispositivo como uma caixa retangular que se conecta à bicicleta e, através de uma pequena roda de fricção, transfere o movimento para a roda traseira. É ainda mais fácil de colocar e tirar do que o GeoOrbital.

Atinge até 25 km/h e uma autonomia de 24 km. Fornece uma potência máxima de 800 watts e a bateria pode ser carregada em 2 horas. 

Esses tipos de inovações abrem todo um novo espectro de dispositivos engenhosos e práticos. De fato, na atualidade existe uma variada oferta de kits para transformar uma bike convencional em elétrica.

Passo a passo: como transformar uma bike convencional em elétrica?

Diante da grande variedade de alternativas de kits, a adaptação da bicicleta vai depender mais de nós e se queremos optar por um dispositivo pronto e fácil de instalar ou por algo mais clássico que exige mais montagem.

Mesmo assim, existem algumas etapas básicas que não podemos ignorar.

1) Conheça sua bike

Antes de começar a pensar em transformar uma bike convencional em elétrica, é fundamental descobrir as características da nossa bicicleta.

Devemos conhecer o tamanho da roda, o diâmetro do tubo do assento, o tipo de quadro ou o sistema de freio para saber se o dispositivo de conversão vai se adaptar à nossa bicicleta.

2) Descubra as opções

Mencionamos duas marcas que se destacam por ser uma inovação incrível e que podem transformar uma bike convencional em elétrica em menos de 5 minutos, mas navegando na internet podemos descobrir que há muitas alternativas. Além dos dispositivos com motor e bateria na roda, existem os kits com motor central, kit traseiro e kit frontal.

O kit com motor central talvez seja o mais popular, mas tudo depende de como vamos usar a bicicleta.

3) Para que vamos usar sua bicicleta?

Para curtas distâncias em áreas urbanas, os mais convenientes são os dispositivos mais práticos, como o GeoOrbital e o Rubee, muito simples de colocar e tirar e que nos permitem chegar ao escritório sem esforço.

Mas se planejamos pedalar por terrenos difíceis e usar a bike para uma prática que requeira maior potência, devemos levar isso em consideração ao escolher um motor.

4) Compra do kit

A próxima etapa para transformar uma bike convencional em elétrica é a compra.

Muitas marcas oferecem a compra diretamente no site, mas também é possível adquirir o kit em grandes lojas ou lojas virtuais, como Tecbike, Americanas, Mercado Livre, Submarino, AliExpress, dentre outros.

Fazendo uma busca rápida também podemos encontrar uma grande variedade de marcas nacionais.

O preço dos kits varia de R$ 1400 a R$ 3600 ou mais, dependendo da marca. O GeoOrbital está em torno de U$ 900 e o Rubee custa a partir 529 €.

Se você quiser, também pode comprar as peças dos kits de forma separada e adaptá-lo ao seu orçamento, necessidades e gostos.   

5) Instalação

Se você optou pelos modelos mais práticos e modernos, não precisa se preocupar com ferramentas ou conhecimento técnico para instalar o motor.

Mas se você escolheu um kit de instalação, a próxima etapa é começar a trabalhar e instalá-lo em sua bicicleta.

Se você tiver a manha e paciência necessárias, pode fazer isso sozinho seguindo um tutorial no YouTube. Senão, pode contratar os serviços de um profissional.

Foto: Exemplo de bateria no quadro da bike

É bom ressaltar que a manutenção é uma grande vantagem. Mudar os componentes do kit é muito barato. Uma das peças mais caras é a bateria (uma boa custa a partir de R$ 500), mas ela tem uma longa vida útil que faz valer a pena.

Agora sabe como transformar uma bike convencional em elétrica!

Se você tiver dúvidas ou quiser complementar as informações, não hesite em deixar seu comentário. E se já transformou sua bike, nos conte sua experiência. Com certeza será muito útil para quem está pensando em fazer essa adaptação.

seguro de bike