A sinalização para bike é imprescindível para quem deseja pedalar com mais segurança. Embora muitos acreditem que ela só precisa ser usada à noite, na verdade, mesmo durante o dia, é importante contar com luzes, do tipo vista light, e roupas reflexivas.

Lembre-se que, quanto mais você é visto, menores as chances de acidentes. Por isso, montamos esse conteúdo completo com todas as dicas de sinalização para bike que você precisa conhecer. Confira!

O que é a sinalização para bike?

A sinalização para bike consiste em uma série de acessórios, elementos e vestimentas que ajudam os motoristas a visualizarem o ciclista, aumentando a segurança de todos que trafegam no espaço.

Inclusive, as luzes de sinalização são itens obrigatórios de acordo com o artigo 105 do Código Brasileiro de Trânsito. A legislação em vigor explica que até mesmo as bicicletas precisam usar um tipo de lanterna de sinalização, tanto na traseira como na dianteira da bike, além de refletores nos pedais e na lateral (normalmente colocado nas rodas).

Qual a importância?

Você sabia que 80% dos acidentes envolvendo ciclistas acontecem à noite? Esse dado foi levantado pela concessionária Rodovias do Tietê. Os acidentes mais frequentes registrados são colisões traseiras e atropelamentos, principalmente porque os motoristas não enxergam o ciclista na via.

Além da colisão com um veículo motor, um estudo realizado nos Estados Unidos mostrou que os tipos mais comuns de acidentes durante à noite são quando o ciclista não vê um obstáculo (que pode ser um buraco, pedras, outros ciclistas ou pedestres) e quando o ciclista colide contra um objeto ou outro ciclista (normalmente ambos estão sem sinalização).

De acordo com os pesquisadores americanos, 80% desses acidentes poderiam ser evitados apenas com o uso do farol noturno.

Assim, ao usar a sinalização para bike, você estará aumentando a sua visibilidade e evitando que outros motoristas ou ciclistas acabem colidindo com você — e também passará a enxergar melhor os obstáculos da via, impedindo, por exemplo, um atropelamento.

Quais os principais tipos?

Basicamente, podemos dividir a sinalização em: sinalização do ciclista, iluminação da bicicleta e técnicas de condução. Vamos ver em detalhes.

Sinalização do ciclista

É uma sinalização que também pode ser usada durante os pedais diurnos, reduzindo as chances de acidentes.

Durante à noite, obrigatoriamente, use roupas claras ou em cores chamativas, que ajudem você a se destacar na via. O colete reflexivo é um grande aliado, bem como o uso de capacetes com fitas reflexivas, braçadeiras com LED que piscam e faróis para o capacete.

Os faróis para capacete são ótimas ideias para quem irá pedalar em trilhas à noite, porque iluminam exatamente onde o ciclista está olhando, trazendo mais segurança. Também existem capacetes com luzes que piscam para sinalizar o ciclista.

Sinalização para bike

A bicicleta deve ser sinalizada e iluminada corretamente. Como explicamos, essa é uma obrigatoriedade prevista no Código Brasileiro de Trânsito. De acordo com a lei, toda bicicleta deve ter refletores na dianteira, na traseira e nas laterais.

sinalização para bike

Luz de sinalização

Na traseira, o recomendável é usar uma luz intermitente (que pisca rápido/flash) na cor vermelha. Na dianteira, a indicação é usar uma luz branca. Use também refletores nos aros e nos pedais. Esses conjuntos são conhecidos como vista light.

Essas luzes de sinalização podem ser encontradas em diferentes modelos e marcas — e também variam conforme a instalação.

Os modelos mais simples usam tiras de borracha para serem presos ao tubo da bicicleta, sendo muito fácil de instalar. O acionamento é feito ao pressionar a parte frontal, que aciona o botão localizado na parte traseira da bicicleta. Esses sistemas geralmente são a pilha e necessitam de manutenção mais frequente.

Existem modelos mais avançados que usam conexão USB para carregar a bateria, o que reduzem a troca constante de pilhas. Também existem versões com abraçadeiras de borracha, fáceis de instalar — e botão de acionamento com indicação do nível da bateria.

E, ainda, há luzes versáteis, que podem ser usadas tanto na bike como no capacete, com facilidade de instalação e remoção quando necessário.

Atenção com as luzes de sinalização à pilha, porque, conforme a pilha fica fraca, a iluminação acaba sendo menos eficiente, colocando a sua segurança em risco. Em relação à bateria, verifique qual é a autonomia e o material do qual ela é feita. As baterias de lítio costumam durar mais.

Outra opção é o vista light de chip que tem uma durabilidade maior. Só não é recomendado para quem irá fazer trilhas à noite, porque eles são muito fortes e podem dificultar a pedalada de quem vem atrás.

Faróis e lanternas

Além disso, é importante usar lanternas ou faróis, dependendo do caminho que você fará. Assim, conseguirá enxergar mais facilmente o caminho e os obstáculos presentes, reduzindo as chances de acidentes.

Nos pedais urbanos, a iluminação pública compete com a iluminação da bicicleta. Para velocidades de até 12 km/h, é possível usar um farol com uma lâmpada halógena de até 3 watts de potência. Conforme você aumentar a velocidade, a potência deverá ser maior.

Outra ideia interessante é usar o farol de LED com regulagem. Há modelos com até 3 níveis de intensidade de iluminação, assim ele se ajustará a sua necessidade, dependendo se você está em uma via mais ou menos iluminada.

Nas trilhas, você não precisará de uma iluminação tão potente, porque a nossa visão consegue se adaptar ao escuro. Mas é sempre importante contar com farol ou lanterna nessas situações.

Os faróis também podem variar, com modelos à pilha e recarregáveis. Os recarregáveis são mais interessantes porque têm uma durabilidade maior.

Quando for escolher o farol, além da potência de iluminação, analise também se o equipamento é bem vedado e capaz de resistir a sol e chuva, se a estrutura externa é resistente, o sistema de fixação que deve ser fácil de instalar e retirar, porém, seguro e se a marca oferece garantia do produto.

Se você for pedalar em trilhas, pode ser interessante usar um farol a pilha, pois, caso a bateria acabe no meio do caminho, é só trocar as pilhas e continuar pedalando. Essa ideia é válida para pedais longos ou cicloviagens noturnas.

Alguns modelos também podem ser ajustados, girando no guidão, tornando o uso mais fácil do que os modelos rígidos.

O ideal é ter um conjunto de sinalização com luzes que piscam na frente e atrás (vista light) e o farol dianteiro para facilitar a visualização do caminho.

Técnicas de condução

É verdade que as técnicas de condução não são exatamente uma sinalização para bike, porém, elas ajudam bastante quando o assunto é a segurança do ciclista.

Quem pedala à noite frequentemente, pode investir em fitas reflexivas na própria bike e em acessórios como mochilas. Quando são aplicadas nos locais visíveis da bicicleta, elas ajudam bastante a aumentar a sua visibilidade para outros motoristas, ciclistas e pedestres.

Outra dica para pedal noturno é usar óculos de lentes amarelas antiofuscantes. Elas ajudam a reduzir os reflexos da luz no sentido contrário.

Não se esqueça de sinalizar com os braços as mudanças de direção:

  • Braço esquerdo esticado para a esquerda, palma para frente: indica que você irá dobrar à esquerda;
  • Braço direito esticado para a direita, palma para frente: indica que você irá dobrar à direita;
  • Braço esquerdo levantado para cima: indica que você irá parar;
  • Braço esquerdo esticado ao lado do corpo, para baixo, ligeiramente para fora, com a mão esquerda com a palma para trás abrindo e fechando: indica “atenção: obstáculos ou problemas à frente”;
  • Braço esquerdo erguido na altura do ombro, dobrado no cotovelo, com a mão para frente e a palma para dentro: indica que você está seguindo em frente em um cruzamento.

Lembre-se de manter os adesivos reflexivos sempre limpos e todas as luzes de sinalização para bike funcionando.

Curtiu nossas dicas de sinalização para bike? Cadastre-se na nossa newsletter e receba as novidades do blog direto no seu e-mail!

seguro de bike