Não há nada melhor do que fazer um rolê de bike com o seu melhor amigo, ainda mais quando ele tem quatro patas. É a união perfeita entre duas paixões: o ciclismo e os animais. Passear de bicicleta com cão é diversão garantida e pode também te ajudar a melhorar a performance no pedal.

Promover o seu animalzinho a companheiro de aventura em duas rodas é bem fácil, mas vai precisar do ajuste de alguns detalhes. Passear de bicicleta com cão requer atenção redobrada nos itens de segurança. Porém, fique tranquilo. Seguindo todas as nossas dicas, com certeza será uma passeio pra lá de “AUAUnimado”! 

Rolê de Bike com cachorro: o que a lei diz? 

No momento, não há no Código de Trânsito Brasileiro (CTB) nenhum tipo de proibição quanto ao transporte de cachorros em bicicleta. O que deve estar assegurado sempre é o conforto total do animal, não podendo configurar em maus tratos.

A segurança do ciclista e também do cachorro devem estar garantidas. Em regra geral, na legislação brasileira todo condutor, seja motorista ou ciclista, deve conduzir com domínio preciso durante todo o percurso, pilotando com atenção e os cuidados necessários de segurança. 

Por este motivo, o transporte do cachorro não deve tirar a atenção do ciclista. É importante também que as duas mãos estejam no guidão e o peso do animal seja compatível para um equilíbrio seguro entre ambos, você e seu cãozinho.

Benefícios físicos

Uma boa performance requer um bom treino físico, principalmente com exercícios de força e aeróbicos. Ao passear de bicicleta com cão, devemos levar em conta que carregamos o peso do nosso corpo, o da bike e o do cãozinho. Nas primeiras saídas realmente pode ser que você sinta o tranco, mas depois, aos poucos, o desempenho melhora e os resultados aparecem. 

Outra coisa que melhora muito é o respeito dos motoristas pelas ruas das cidades. A simples presença de um animalzinho durante a pedalada costuma ser positivo no trânsito já que, no geral, as pessoas acabam mantendo uma maior distância.

Passear de bicicleta com cão: opções de transportes 

Antes de definir qual tipo de ferramenta utilizar, é primordial levar em consideração o porte do doguinho. Cada tamanho possui um transporte mais indicado. Ao mesmo tempo, não tente economizar comprando produtos sem qualidade. Vale mais apostar e investir em artigos que possam passar confiança para você e segurança para o seu bichinho.

CESTOS

Muito populares, os cestos são ideais para cães de pequeno porte. Existem no mercado tipos especiais, com diferentes estruturas, que conseguem oferecer proteção. Alguns cestos são removíveis, dobráveis e com tampas, podendo ser acoplados somente na hora de passear. Para os modelos abertos, é melhor que eles sejam usados com coleiras do estilo peitoral, para dar mais sustentação ao corpo do animal e evitar saltos. 

MOCHILAS 

Super práticas, as mochilas de bicicleta para cães possuem sistema de distribuição de peso, auxiliando no conforto do transporte. Sua estrutura deve ser bem acolchoada, de modo que não aperte o bichinho, mas que ofereça um ambiente tranquilo. O bom é que, alguns modelos, permitem testar os níveis de transferência de peso na coluna, com sustentação mais na parte de cima ou de baixo.  

Existem mochilas que aguentam animais de até 50 quilos. O que deve ser levado em consideração é se você possui equilíbrio e resistência suficientes para dobrar a esquina com seu cão de porte grande nas costas. 

TRAILER

Uma boa alternativa para passear de bicicleta com cão é o uso do trailer. Ele é como um pequeno caixote, que fica fixado na parte traseira da bike. Ótimo para cães de porte médio que costumam se cansar rápido, mas que adoram passear. Recomendado para quem possui um cãozinho mais idoso ou com algum problema de saúde. 

GUIA 

Adquirir uma guia de mãos livres é a melhor opção para quem pretende passear de bicicleta com um cão de grande porte. Basta ajustar a guia na sua cintura e na outra extremidade, prender o seu pet. Esta é a maneira de transporte que merece mais atenção por conta da sua complexidade. 

Tudo depende de um passo a passo. Primeiramente, o doguinho deve estar bem adaptado ao uso da coleira, depois, acostumado a respeitar seus comandos, andando lado a lado. Somente após esse período é que podemos iniciar a tentativa de introduzir a bicicleta, primeiro ao lado e somente no fim, montado. Neste caso, deve-se levar em conta o ritmo natural do próprio cão, para não forçá-lo. 

Os riscos para cães que não estejam adaptados são grandes, como por exemplo, fadiga, problemas cardíacos e escoriações nas patas, por conta do asfalto. Antes de embarcar na atividade física junto com o seu cão, é prudente consultar antes o veterinário do animalzinho. Importante também é ter um bom equilíbrio e treinar junto o animal para que ele, caso se sacuda, não faça você cair da bicicleta.

O cachorro tem medo! E agora? 

De maneira geral os cães não estão habituados a ter contato próximo com bicicletas. Por isso, é preciso familiarizá-lo com o assunto, deixando ele cada vez mais próximo dela. Assim, ficará mais leve esse processo. Que, aliás, é preciso ter muita paciência e uma boa pitada de zelo. Como nós, humanos, os animais também possuem o seu próprio tempo. Forçar uma aproximação não é nada bacana.

O processo de dessensibilização deve ser realizado sempre que possível. Mostre para eles todos os movimentos que a bicicleta é capaz de fazer. Com as mãos, leve a bicicleta para frente, atrás, gire para os lados e dê solavancos. Apresente todos os sons que ela emite, diminuindo as chances dele levar um susto. Assim, ele vai se acostumar aos estímulos. 

Utilize alguns petiscos e biscoitos, de acordo com a dieta dele, para despertar o interesse. Comece fazendo passeios curtos e próximos a casa. Depois com o tempo, vá intensificando. Importante também é conversar com o animal, ensinando alguns comandos de voz para quando vocês estiverem juntos na bicicleta.
 

Passear de bicicleta com cão: medidas de segurança 

Viajar de bicicleta com cão é uma escolha corajosa, que exige responsabilidade com o bem-estar do animalzinho. Devemos estar sempre atentos para responder às necessidades deles: 

  • Escolha bem a rota. Prefira utilizar as ciclovias ou ruas mais calmas, evitando avenidas movimentadas;
  • É fundamental que a sua bicicleta esteja com a manutenção em dia, para não colocar seu cão em risco;
  • De preferência para passeios no parque e em lugares mais tranquilos;  
  • Faça sempre paradas estratégicas de descanso;
  • Evite sair de bike nos horários onde o sol está mais forte. Prefira passear no início da manhã ou fim da tarde;
  • Aliás, antes de colocar os pés (e as patas) na rua, verifique antes a previsão do tempo e as chances de chuva;
  • Invista em itens de segurança para o seu cão, como capacete e óculos especiais;
  • Importante portar sempre a garrafa com água fresca para ambos atletas, você e seu cão;
  • Leve sempre um saquinho para, caso aconteça em uma paradinha rápida no caminho, recolher o número 2;
  • Para trajetos de bicicleta mais longos com o cão, é legal levar o comedor e um pouco de ração. 

E fica aqui o último aviso: depois de fazer o primeiro rolê com seu amigo peludo, será difícil querer deixá-lo em casa. Passear de bicicleta com cão é simplesmente viciante, você vai ver!

Venha fazer parte da nossa rede de seguidores. Siga o perfil da Bike Registrada no Instagram e curta nossa página no Facebook!

seguro de bike