AtletasEsporte e Fitness

Conheça a história do ciclista Mark Cavendish

KONYA, TURKEY - APRIL 12: Arrival / Mark Cavendish of United Kingdom and Team Deceuninck - Quick-Step Celebration, during the 56th Presidential Cycling Tour Of Turkey 2021, Stage 2 a 144,9km stage from Konya to Konya / #TUR2021 / @tourofturkeyTUR / on April 12, 2021 in Konya, Turkey. (Photo by Stuart Franklin/Getty Images)

Para quem é fã de ciclismo, hoje é dia de conhecer um profissional referência para muitos competidores e amantes do esporte. Mark Cavendish nasceu em 21 de maio de 1985, sendo, uma das principais autoridades quando o assunto é sprint, além de ser considerado um dos maiores velocistas da história do desporto.

 

Quem é Mark Cavendish?

Nascido na Ilha de Man, uma região autônoma da Grã-Bretanha, localizada especificamente no mar da Irlanda, entre a região da Inglaterra e a Irlanda, Mark Cavendish é conhecido no mundo todo como um astro do ciclismo.

Apesar disso, ele também é conhecido pela sua personalidade forte, que já resultou em desclassificação por insultar jornalistas e apresentar mau comportamento. Essa personalidade divide a receptividade das pessoas. Muitos, apesar de confirmarem o estrelismo dele como sprinter, não gostam da sua personalidade em competições.

Essa personalidade mais forte reflete em seu estilo de treino, que é mais arrojado, ousado, característica que ele leva para as competições, considerado por muitos como mais perigoso. Em 2016, inclusive, durante as Olimpíadas, ele provocou a queda do ciclista sul-coreano, Sang Hoon Park. A colisão causou ainda a queda de mais três competidores.

Em sua trajetória ele já se envolveu em vários acidentes em sprints. A disputa com Peter Sagan, no Tour de France, em 2017, lhe rendeu, por exemplo, um mau resultado, obrigando-o a deixar a prova.

Durante toda sua vida trabalhou para construir uma carreira vitoriosa em duas modalidades diferentes do ciclismo. Entre suas vitórias destacam-se o título de campeão mundial no ciclismo de pista, nos anos de 2005 e 2008, e depois no ciclismo de estrada, em 2011.

Mark Cavendish fez história ao bater recorde com as voltas da França, Itália e Espanha, consideradas as três voltas mais importantes do mundo no esporte. Em território brasileiro, Mark Cavendish também fez história, quando foi prata de volta aos velódromos, em 2016.

Depressão e herpesvírus humano

Depois de 2016 sua vida começou a tomar outro rumo. Em 2017 ele recebeu o diagnóstico de vírus Epstein-Barr, conhecido como herpesvírus humano 4, que pode ser transmitido pela saliva e pode causar mononucleose.

Por causa da doença, o ciclista britânico começou a apresentar muitos quadros de fadiga durante seus treinos. Além disso, ele também se queixava de dores, cansaço extremo e fraqueza. Todo esse panorama geral da sua saúde, somado a um tratamento mal feito, resultou em uma carga muito pesada para Mark Cavendish, que além da perda do condicionamento e resistência física, também desenvolveu um quadro de depressão, abalando sua saúde mental, sua carreira e sua vida.

Um dos grandes desafios nessa fase da vida do astro do ciclismo foi aceitar que estava com uma doença de ordem mental. Esse processo de aceitação foi mais demorado e difícil porque Mark Cavendish acreditava na teoria de que a depressão não é uma doença real e que, por isso, não deve ser levada a sério.

A soma de todos esses fatores na sua vida e na sua saúde afetaram drasticamente a sua carreira como ciclista, resultando, por exemplo, em sua exclusão da Volta da França, uma das principais competições do esporte, um torneio anual de ciclismo de estrada, disputado em etapas, além de um péssimo desempenho registrado nos anos de 2018 e 2019.

Ponto de mudança

Por esses motivos que descrevemos, Mark Cavendish resolveu mudar o roteiro da sua carreira, já que a exclusão da Volta da França foi um golpe muito intenso, pois o atleta participava da competição há 12 anos.

Dado esses fatos, ele resolveu trocar de equipe e ingressou para o quadro da McLaren, uma montadora britânica que brilha nas pistas da Fórmula 1 e é famosa no mundo do esporte. No ano seguinte, mesmo com uma nova equipe, Mark Cavendish não concorreu a Volta da França, pois seu condicionamento físico continuava bastante comprometido. Com essa sequência de episódios, seria o fim da carreira do astro do ciclismo?

Mark Cavendish

Mark Cavendish dizia que não pretendia abandonar o ciclismo, mas que começava acreditar que o esporte não tinha mais lugar para ele. Bradley Wiggins, em contrapartida, vencedor do Tour de France, o primeiro vencedor no projeto Sky, declarou que essa não seria a forma como um ciclista com a qualidade do Mark Cavendish deixaria o esporte.

A vida começou a prosperar novamente!

Não, respondendo à pergunta anterior, não seria o fim de Mark Cavendish. Em 2021 o astro começou a se recuperar da sua queda no mundo do ciclismo. Ele recomeçou, com uma nova visão de carreira, assinando com uma nova equipe, a Deceuninck-Quick Step, uma equipe ciclista profissional da Bélgica de categoria UCI WorldTeam. Na assinatura do contrato ele celebrou dizendo que a sensação de estar na equipe da Deceuninck-Quick é a mesma de estar voltando para casa.

No entanto, ele não entrou como ciclista principal na equipe, sendo coadjuvante e participando de torneios bem menores, como o da Volta da Turquia, disputada, atualmente, em 8 etapas.

Para surpresa de todos e felicidade de Mark Cavendish, ele não estava destinado a ser um membro coadjuvante da equipe. Depois da Turquia, Mark participou do Tour da Bélgica, onde venceu. Após essa escalada que não estava prevista, ele viajou para a França, onde disputou a Volta da França e venceu três etapas, batendo o recorde de 34 vitórias no seu currículo. Que superação, hein?!

Quem imaginava que esse seria o fim da carreira de Mark Cavendish ou que uma aposentadoria seria comunicada a qualquer momento, recebeu mais uma grande vitória e uma verdadeira volta por cima na vida de um dos maiores nomes do mundo do ciclismo.

Bike de Mark Cavendish

Durante o Tour de France, Mark duelou pedalando a Specialized Works Venge. Aqui você pode conferir outros modelos dessa marca. Confira a ficha técnica da bike usada por Mark:

· Quadro: S-Works FACT 11r carbono, Rider-First Engineered™

· Transmissão: Shimano Dura-Ace

· Suspensão: S-Works FACT 11r carbono

· Pneus: Roval CLX 64 Disc, carbono e tubeless-ready;

· Freios: Shimano Dura-Ace R9170 hidráulico

· Peso: 7,9 kg

· Tamanhos: 49,52, 54, 56, 58 e 61;

· Grafismo/cor: Preto e cinza (Satin Black, Silver Holo and Clean)

· Preço médio: R$ 119.900,00

· Nível: para ciclistas avançados.

· Garantia: Para produtos registrados de primeiro dono há garantia de quadros somente. Já para gráficos e pinturas a garantia é de 2 anos.

A Venge foi criada com um objetivo: ser a bicicleta mais rápida do mundo. Saiba mais detalhes em: SPECIALIZED VENGE É BOA? Veja AQUI!.

Você já conhecia a história desse ciclista? Conta pra gente.

Artigos relacionados
Esporte e FitnessMTB

O que é ciclocross?

O que você vai ver nesse artigo Toggle O que é ciclocross?O que é ciclocross?Como…
Leia mais
CompetiçõesEsporte e FitnessNotícias

Conheça o XTERRA, esse incrível campeonato brasileiro (2024)

O XTERRA é uma competição com diversas etapas disputada no Brasil, originado nas ilhas do Havaí…
Leia mais
CompetiçõesEsporte e Fitness

O que é o Desafio Brou? Veja tudo que rola (2024)

Uma das maiores satisfações do ciclismo é superar os próprios limites e conhecer lugares novos.
Leia mais
Newsletter
Receba  novidades  do Bike Registrada

Receba toda semana matérias  e novidades do Bike Registrada

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?