Mesmo em uma pandemia, a Copa do Mundo MTB está rolando, e atraindo até mais espectadores do que em outras edições. O motivo é óbvio, já que boa parte de quem curte esse mundo competitivo da bicicleta, está em casa. E entre uma pausa no home office e um momento em família, sempre há espaço para espiar esse campeonato e viver boas emoções.

Tradicional e que sempre traz desafios cada vez mais técnicos, colocando pilotos e pilotas à prova, a Copa do Mundo de MTB chega a mais de 30 edições, na cidade de Nové Město, na República Tcheca.

A primeira etapa já aconteceu por lá e, como o mundo da bike já divulgou, teve o piloto brasileiro Henrique Avancini no pódio. Por isso, acompanhe este post e conheça mais sobre o evento, colmo foi a vitória do Avança e o que esperar para as próximas etapas de 2020!

Qual é a história da Copa do Mundo MTB?

Com origem em 1989, a Copa do Mundo de Mountain Bike, tem o nome oficial de UCI Mountain Bike World Cup, que remete a União Ciclística Internacional, organização criadora do evento.

A primeira copa do tipo contou apenas com provas de MTB cross country na grade. Com o passar dos anos, o evento ganhou mais categorias como downhill, dual slalom e four-cross, estas duas são categorias em que se correm, respectivamente, com duas e quatro pessoas.

Além disso, a Copa do Mundo MTB conta com a categoria feminina, que, a cada ano, vem ganhando mais nomes na competição. O que eleva ainda mais o nível do esporte e o torna mais assistido por diferentes públicos.

Vale lembrar que, aqui no Brasil, a narração de quase todas as copas do mundo de mountain bike são feitas pelo biker Luciano “KDra”. Já a transmissão é feira pela Red Bull ao mundo, com transmissão brasileira pela ESPN.

Como funciona a Copa do Mundo de Mountain Bike?

Com os anos, a Copa do Mundo de MTB se reinventa e aumenta o seu número de categorias competindo pelos 4 cantos do mundo. Provas na Europa, América do Sul, do Norte, e Ásia, compõem os vários cenários que já abraçaram esse evento.

Uma vantagem da Copa de MTB UCI, é que, diferente de, por exemplo, copas de futebol, ela acontece anualmente. O que gera bastante competividade e é um chamado para cada vez mais pilotos buscarem essa linha de largada, para trazer a medalha de ouro ao seu país de origem.

No mais, a Copa do Mundo MTB se divide em várias etapas de:

  • Overall: essa prova une diversas modalidades, colocando o piloto à prova em todos os sentidos
  • Cross Country: a prova clássica com subidas, rock gardens — pedras e mais pedras em descida —, terrenos altamente técnicos, curvas e terra
  • Cross Country Time Trial: aqui é o tempo em cada etapa que vale mais pontos
  • Cross Country Marathon: a corrida longa com várias horas de duração
  • Downhill: prova de perícia em descidas a mais de 50km/h
  • Dual-Slalom: duas pessoas correm em uma pista em descida, cheia de rampas de médio tamanho
  • Four-cross: uma corrida com quatro pessoas, é como um “bicicross do MTB”, mas, com bikes maiores, terrenos íngremes e rampas enormes

Como é a Copa do Mundo de MTB de 2020?

 

Créditos: © BARTEK WOLIŃSKI/Red Bull

Ela estava para não acontecer, mas, aconteceu. Uma das maiores prova de mountain bike mundiais está rolando e rendendo um bom entretenimento para quem está em casa e pode assistir a Copa do Mundo MTB 2020.

Por conta de seu adiamento, as provas estão acontecendo em uma época “ruim” para se pedalar. Frio, chuva, muito barro e outras adversidades, incluindo até a correria toda para se disputar uma prova em um ano tão atípico, fazem do evento ainda mais singular.

Durante a primeira etapa classificatória de MTB, que é de short track, dificuldades não pouparam os pilotos, com muita lama na cara e terreno escorregadio.

O evento que teve início em 5 de setembro, na Suíça e termina dia 1 de novembro em Portugal, teve suas etapas de XCO finalizadas no último dia 4 de outubro, nas montanhas geladas de Nové Město.

Quem se deu bem por lá, já está classificado para disputar o Campeonato Mundial de MTB 2020, que já tem data e local: 10 e 11 de outubro, em Leolang, na Áustria.

As últimas provas da Copa do Mundo MTB serão de downhill em duas rodadas e, se forem como a prova de XCO, vão render boas surpresas ao público.

Como foi a vitória de Henrique Avancini e por que ela é histórica para o esporte nacional?

Henrique Avancini marcou sua presença mais uma vez na Copa do Mundo MTB, e dessa vez, levou a tão buscada colocação: 1º lugar.

O feito histórico para o brasileiro que levou a medalha de ouro de um dos mais difíceis campeonatos de mountain bike do mundo, veio, como ele disse em entrevista logo após a corrida “depois de trabalhar muito durante muitos anos”.

Além das dificuldades normais que um campeonato desse nível olímpico tem, Avancini teve que lidar com as adversidades de clima e solo que a época trouxe à Europa.

Muita chuva e frio, e a presença do quase que incontestável competidor Nino Schurter, 8 vezes campeão mundial, não foram páreos para Avancini. O brasileiro atacou na última volta, fazendo uma estratégia diferente de seus oponentes.

O brasileiro manteve a 4ª posição durante quase 100% da corrida e, em um dos últimos trechos da trilha, ele correu pela parte baixa da pista, enquanto os outros pilotos, incluindo Schurter, foram por cima. Resultado: vitória do Avança.

Créditos: © BARTEK WOLIŃSKI/Red Bull

Com o ouro, Henrique Avancini entra na lista dos competidores do Campeonato Mundial de MTB, outra prova tão desafiadora como essa.

Além da presença histórica de Avancini na Copa do Mundo MTB, mais brasileiros também marcaram o evento. No feminino, Raiza Goulão e Letícia Cândido, e no masculino, Luiz Henrique Cocuzzi marcaram o terreno tchecoslovaco.

Conclusão: Avancini reforça a sua posição como o 2º melhor piloto do mundo e, fica mais próximo de ser o vencedor do Campeonato Mundial de MTB. A Copa do Mundo MTB 2020 foi marcada pelo brasileiro, e continua a repercutir pelo mundo. E bons motivos não faltam para que continue.

Compartilhe este post em suas redes sociais e faça com que mais pessoas descubram a emoção dessa vitória brasileira!