Aqui no blog da Bike Registrada sempre estamos recomendando percursos maravilhosos do Brasil, como quando falamos do Caminho da Fé em Águas da Prata, por exemplo. E hoje é a vez do Circuito das Araucárias.

De todas as que mencionamos até agora, o Circuito das Araucárias é uma das rotas mais desafiantes mas também uma das mais bonitas, tanto pela natureza quanto pelo valor cultural e histórico do que encontramos pelo caminho.

Há época do ano que neva em algumas cidades. Você já pensou, pedalar na neve? No Brasil? Dá, no circuito das Araucárias!

Continue lendo e descubra as maravilhas que este percurso tem para oferecer.

circuito das araucárias
Foto: Reprodução Circuito das Araucárias

 

Quais são as características do Circuito das Araucárias?

O Circuito das Araucárias está localizado bem ao norte do estado de Santa Catarina, não muito longe de Joinville.

Pode ser percorrido de 3 maneiras: a pé, de bike, e também fazer especificamente a rota cultural. Mas nesse artigo vamos focar só no percurso de bicicleta.

O circuito de bike possui 270 quilômetros de extensão divididos em 9 trechos, que se entrelaçam em 4 cidades do Planalto Norte Catarinense: Campo Alegre, Corupá, Rio Negrinho e São Bento do Sul.

Ao longo do percurso é possível encontrar cachoeiras e belíssimas paisagens de vales e montanhas, tudo muito bem conservado.

O nome do circuito é assim precisamente porque entre as serras e os vales que vamos atravessando podemos ver a incrível Mata Atlântica, cheia de florestas de araucárias.

E, além da natureza, é imperdível a culinária da região que os ciclistas podem encontrar nas cidades e ao longo do caminho.

O percurso é autoguiado, portanto está muito bem sinalizado, pensado para ser feito entre 6 a 8 dias, mas, dependendo da sua condição física, pode ser feito em menos tempo.

Analisemos agora as características principais de cada um dos trechos.

Trecho 1: São Bento do Sul – Cachoeiras

São Bento do Sul é o início e o final do Circuito das Araucárias. É uma cidade pitoresca com muita história e tradição.

No Trecho 1, você poderá curtir paisagens e uma bela descida mas também experimentará levemente as dificuldades presentes ao longo do percurso, como os grandes trechos de terra e as subidas. 

A subida total desse trecho é de 970m (Perfil Altimétrico).

Também poderá desfrutar de quase 10km de mata fechada.

Esse trecho possui 38,8 km de extensão.

Trecho 2: Rota das Cachoeiras – Corupá

No trecho anterior você já pode começar ouvir o barulho das cachoeiras que dão nome ao trecho 2.

Esse trecho é o mais plano de todo o Circuito das Araucárias, possui 16 km de extensão e um Perfil Altimétrico de 270 m.

Há muitas bifurcações, portanto é preciso ficar atento às sinais.

Se estiver com tempo e ânimo, pode desviar um pouco do percurso e visitar o Seminário de Corupá, construído em 1929 e ainda ativo. Vale a pena a vista.

Trecho 3: Corupá – Parque das Aves

Esse trecho possui várias subidas curtas, mas bem íngremes, então prepare as pernas.

Mas, fora essa dificuldade, é um trecho muito bonito, porque é seguido pelo rio e você pode ver, de tanto em tanto, belíssimas paisagens das cachoeiras cortando as serras.

Não perca o Morro da Igreja.

O trecho possui 13,2 km e um Perfil Altimétrico de 300 m.

Trecho 4: Parque das Aves – Campo Alegre

Agora sim, prepare seu fôlego, porque esse trecho possui a maior subida do Circuito das Araucárias.

O Perfil Altimétrico é de 1.235 m, ou seja, nesse trecho você estará no ponto mais alto do circuito.

É recomendável calcular bem o tempo para aproveitar o dia porque a pedalada nesse trecho é mais demorada.

Mas o visual é maravilhoso e é a desculpa perfeita para um descanso e tirar fotos.

Nesse trecho você encontrará algumas lojas caso estiver precisando alguma coisa para sua viagem.

Possui 31,7 km em total.

Trecho 5: Campo Alegre – Pousada Casa Antiga

É um trecho relativamente curto (13,8 km) com subidas e descidas mais suaves (Perfil Altimétrico 294 m), alívio merecido depois do trecho anterior.

Também conta com várias partes planas.

Vale destacar que nesse trecho percorremos parte da Estrada Histórica Dona Francisca, e se estivermos com tempo podemos visitar várias propriedades rurais tradicionais no caminho.

Você sentirá como se tivesse viajado no tempo para o início do século XX.

Trecho 6: Pousada Casa Antiga – Pousada Ponte de Pedra

Com uma distância de 41 km e um Perfil Altimétrico de 1.058 m, esse trecho é um dos mais interessantes e bonitos. Vale a pena dedicar bastante tempo para percorre-lo, ou seja, pegue a bike bem cedinho.

Porém, o que tem de lindo também tem de dificultoso, porque as subidas e descidas são constantes.

Não esqueça de comprar algum alimento orgânico ou artesanato de lã!

Além disso, se fizer calor, não perca a chance de tomar um banho de cachoeira no Salto do Engenho.

Trecho 7: Pousada Ponte de Pedra – Rio Negrinho

Um trecho para apreciar especialmente as florestas, plantações de pinheiros, cadeias montanhosas no horizonte e, se for em novembro, as hortênsias ao longo da estrada.

A estrada é muito bonita, pois é feita com o pavimento de pedra original.

Possui uma distância de 34,4 km e um Perfil Altimétrico de 789 m.

Trecho 8: Rio Negrinho – Fazenda Evaristo

O maior destaque desse trecho, além da incrível beleza da paisagem, é o Mosteiro Trapista.

As Irmãs Trapistas de Quilvo (Chile) escolheram esse lugar para seu Mosteiro e, olhando a paisagem e a paz do local, dá para entender sua decisão.

Distância: 38,7 km.

Perfil Altimétrico: 783 m

Trecho 9: Fazenda Evaristo – São Bento do Sul

Chegamos no final! Mas se você pensava que ia ser um trecho tranquilo, pense de novo.

Possui uma grande e longa subida. É o esforço final antes da vitória.

Distância: 42,8 km

Perfil Altimétrico: 865 m

circuito das araucárias
Foto: Reprodução Circuito das Araucárias

Créditos: Prefeitura de São Bento do Sul

O Circuito das Araucárias é para mim? O que tenho que fazer para pedalar nesse percurso?

Se você é um ciclista frequente, o Circuito das Araucárias não apresentará maiores dificuldades

E se você é um ciclista menos experiente, também poderá aproveitar a beleza do percurso, mas nesse caso recomendamos ir sem pressa e ficar de olho no tempo para aproveitar a maior quantidade de luz de dia.

Para pedalar no Circuito das Araucárias recomendamos, logicamente, uma bicicleta apta para terra e natureza, como uma MTB, além de considerar nossas dicas para iniciantes em mountain bike.

Para saber como fazer o check-in e obter o passaporte do circuito, além das hospedagens e outras informações importantes, pode visitar o site oficial do Circuito das Araucárias. Confira algumas fotos do circuito, todas retiradas do site oficial.

circuito das araucárias
circuito das araucárias

 

circuito das araucárias

 

circuito das araucárias

 

circuito das araucárias

 

Você já pedalou nesse circuito? Então deixe seu comentário e conte sua experiência para nós!

seguro de bike