ComponentesManutenção de bike

Guia completo dos amortecedores de bike

Para os apaixonados por bike e ciclismo, hoje nós vamos falar sobre um sistema importante para garantir a sua segurança: o sistema de suspensão, especialmente, sobre os amortecedores de bike, que são de uso na parte traseira.

Conhecer bem como funciona a bicicleta é primordial para evitar imprevistos, em especial, ter noção sob o sistema de suspensão e amortecedores, e como eles atuam. Afinal de contas, para quem gosta de curtir uma trilha e adora aventuras, é preciso ter noções básicas pois são atividades que exigem mais resistência. Confere só o guia completo que preparamos para você sobre os amortecedores de bike.

 

O que é o sistema de suspensão?

Primeiro, antes de falarmos sobre o amortecedor, é importante conhecer sobre a suspensão da bicicleta que é, em resumo, um sistema responsável por absorver todo o impacto das estradas. Lembra que falamos logo no início que esse sistema é especialmente importante para os amantes de trilhas e de esportes mais radicais envolvendo a bike?!

Durante estes trajetos mais difíceis, como uma trilha, por exemplo, e que exigem mais resistência, o sistema de suspensão é o maior aliado do ciclista, pois ele amortece e torna a aventura mais segura e confortável.

Porém, é preciso ter atenção, sobretudo na hora da revisão da sua bike, pois a suspensão é dividida em dianteira e traseira. A primeira inclui o quadro da bicicleta e a segunda é justamente o amortecedor, ou também chamado de shock. Mas, calma, vamos falar tudo e mais um pouco sobre ele mais adiante.

Conheça a história dos amortecedores de bike

Agora vamos conhecer a história dos amortecedores. É muito comum ouvirmos esse termo quando estamos nos referindo aos carros, mas assim como eles, as bicicletas também possuem amortecedores. Eles surgiram nas bikes com o objetivo principal de tornar o hábito de pedalar mais suave, seguro e tranquilo para os ciclistas.

Para poder chegar nos amortecedores leves e tecnológicos que se tem hoje no mercado foi preciso muitos testes, investimentos e estudos, pois é um assunto em constante debate e aprimoramento.

Ao contrário da suspensão, que existe desde a década de 60, as primeiras bicicletas com tecnologia capaz de suavizar os impactos, segundo os registros, surgiu ainda em meados do século XIX, criadas pela indústria cíclica para facilitar e oferecer maior segurança e comodidade aos amantes do ciclismo.

No entanto, somente mais tarde, no final da década de 80 para o começo da década de 90, lá nos Estados Unidos, inspirados no mercado motociclístico, surgiu os famosos amortecedores, para suavizar ainda mais os grandes impactos.

O amortecedor, em sua estrutura propriamente dita, é organizado para dar passagem para o óleo, que caminha por dentro de buracos, semelhante a uma seringa. A força que é empregada para que o óleo passe pelo buraco é o que reduz a velocidade que a suspensão retorna para sua posição original, por isso, ele pode ser considerado como um sistema hidráulico responsável pelo controle dos movimentos da mola, preservando.

Dessa forma, a estabilidade da suspensão e, gerando, não só mais conforto durante a pedalada como também uma maior segurança para o ciclista, que está amparado por um sistema que diminui os impactos e possíveis situações de risco, pois o controle do sistema está na palma da mão do indivíduo.

O amortecedor, em resumo, nada mais é do que uma peça da bike que é responsável e tem como função principal unir a mola e o sistema hidráulico, que ativa um esquema de links e pivôs na estrutura do quadro da bicicleta.

Todo esse processo permite que, dessa maneira, o movimento da roda traseira da bicicleta seja concluído e o ciclista possa realizar seu trajeto com mais segurança e conforto, pois o amortecedor faz com que os movimentos da bike sejam mais suaves e exijam menos esforço da pessoa que está pedalando.

Como escolher os amortecedores de bike ideais?

Agora que você conhece a história e a função do amortecedor, além de descobrir com que finalidade ele surgiu, é importante saber como escolher o melhor amortecedor para sua bike.

Primeiro, assim como na compra de uma bicicleta, você deve considerar as suas necessidades e desejos, pois no mercado há uma infinidade de bikes, indo das mais simples (estilo a que ganhamos na primeira infância) até as mais robustas e tecnológicas, como é o caso das Bikes MTB, que são bikes mais profissionais e voltadas para aventuras.

Por isso, o primeiro passo para escolher é entender para que você deseja ter aquela bike. Afinal de contas, se a sua bicicleta é usada apenas para passeio, por exemplo, é indicado um outro tipo de amortecedor que é mais simples.

No entanto, se o seu desejo é por pedalar de forma mais profissional ou por rolês com mais aventura, realizando um ciclismo mais resistente, é necessário não só colocar um amortecedor mais potente como também escolher um sistema de suspensão mais robusto, pois, dessa forma, é possível ter uma bike que oferece maior segurança, conforto e leveza na hora da sua pedalada.

Além disso, é primordial que sempre quando estiver com dúvidas, você peça a orientação de um profissional. Afinal de contas, ele conhece o meio de transporte como ninguém e, fora isso, tem conhecimento sobre as melhores marcas disponíveis no mercado… Mas, calma, mais na frente nós vamos falar um pouco sobre isso com vocês.

amortecedores de bike

Imagem: jiji.ug

Como cuidar dos amortecedores de bike?

Agora nós vamos conversar sobre algo muito importante e essencial para os ciclistas: como cuidar dos amortecedores de bike para que o tempo de vida útil da sua bike seja prolongado. Vamos lá?

Manter os cuidados com sua bike e a revisão em dia é uma das formas de prolongar a vida útil do transporte. E um dos cuidados é com os amortecedores, afinal, pedalar de forma leve e segura é essencial, não é mesmo? Por isso, fique atento à essas dicas:

  • Na hora da limpeza do sistema de suspensão, o ideal é que você faça uso de um pano limpo e seco, passando na região de forma leve e delicada, sem colocar nenhum tipo de pressão para não danificar a estrutura. Além disso, o recomendado é que você sempre faça o movimento no sentido de dentro para fora.
  • Mas, se você realizou uma trilha recentemente ou pedalou em uma região que tinha lama e você percebeu a presença da mesma nos amortecedores ou na suspensão, a dica é outra: ao invés do pano seco e limpo, opte por utilizar diretamente a mangueira para a higienização do local. Isso evita friccionar e causar algum dano ao amortecedor e ao sistema de suspensão.
  • Uma outra coisa essencial para se fazer durante os cuidados e revisão do amortecedor (e também do sistema de suspensão) é passar um spray de silicone na haste e leva-lo para a manutenção para ser feita uma limpeza na câmara de ar.
  • Por fim, uma última dica que é tão valiosa quanto as outras: não se esqueça de que é muito importante para a manutenção dos amortecedores a utilização do óleo, para que ele continue funcionando com excelência e no máximo, mantendo a pedalada mais leve e segura. Nesse caso, nós indicamos que você sempre opte por utilizar o WD-40 para essa parte de lubrificação.

Tipos de amortecedores de bike

Assim como há várias versões de bicicleta, que geram dúvidas nos ciclistas sobre qual comprar; outra dúvida recorrente entre eles e também pelos apaixonados por bike é sobre o tipo de amortecedor: qual melhor? Qual se deve comprar? Quais características devem ser levadas em consideração?

Existem, basicamente, de forma geral, três tipos de amortecimento: mola ou mola e elastômero, hidráulicas, que é a mola e óleo e, por fim, as pneumáticas, que são ar e óleo. Cada um deles têm suas particularidades e são indicadas para determinadas bicicletas, por isso, hoje nós vamos te explicar cada um deles e a indicação para cada tipo.

1. Mola ou mola e elastômero

Decidimos começar pela mola ou mola e elastômero porque são os sistemas mais simples e fáceis para se entender e encontrar por aí. A regulagem desse tipo de amortecimento é básica, e, em alguns casos, nem apresentam sequer essa regulagem.

Já o elastômero vai dentro da canela ou bengala, este, nesse caso, é feito de uma espécie de borracha sintética. Quando o elastômero apresenta dureza ou rigidez, é indicado trocá-lo por um outro tipo que tenha maior densidade. Ressaltamos que esse tipo de amortecedor não é indicado para terreno muito instável, pedregoso e com buracos, por isso, fique atento ciclista!

2. Hidráulicas

Já esse tipo de amortecedores de bike é muito parecido com o dos carros no quesito funcionamento, até o nome é familiar e te faz lembrar dos automóveis, não é? No caso dos amortecedores hidráulicos se faz uso do óleo no lugar do elastômero. Ao contrário do primeiro, o mola ou mola e elastômero, esse tipo de amortecimento com hidráulica oferece sim a regulagem, sendo eles de pré carga, compressão, retorno e trava.

No texto, também já citamos anteriormente de forma resumida como funciona esse tipo de amortecimento. O óleo, nesses casos, se aloca no interior da canela direita, no interior de uma cápsula ou bengala.

3. Pneumáticas

Por fim, o terceiro tipo de amortecedores de bike mais comuns encontrados nas bicicletas. O terceiro e último são os amortecedores pneumáticos. Como o próprio nome já sugere, esse tipo de amortecimento usa o ar comprimido da traça como mola.

Esse tipo de amortecimento é mais adaptável não só ao terreno, mas ao peso do ciclista, sendo, dessa forma, mais preciso. E essa precisão reflete diretamente na qualidade das pedaladas, sendo ótima para ciclista que realizam com constância trilhas com aventuras, por exemplo.

4. Travas

Para que se tenha segurança completa, atualmente, tanto as suspensões como os amortecedores de bike traseiros das bicicletas possuem travas, que podem ser localizadas no corpo da suspensão ou no controle remoto localizado no guidão que podem ser acionados por cabo ou por sistema hidráulico.

Regulagens: adaptando ao peso do ciclista

Uma coisa extremamente importante a se falar sobre suspensão e amortecedores de bike é a respeito da adaptação ao tipo de esporte e peso do ciclista, fatores importantes e que precisam ser levados em consideração na hora de fazer a escolha do sistema de suspensão da sua bike.

1. É chamado setup individual os ajustes que levam em consideração os fatores que citamos acima. O SAG é a sigla para ajustar a suspensão ao peso do ciclista sobre a bike. O SAG deve ser sempre ajustado para que a suspensão e/ou amortecedor traseiro afunde entre 15 e 20% do seu curso, ou seja, regular o quanto a suspensão vai afundar de acordo com o peso do ciclista.

2. Outro tipo de regulagem bastante importante e que deve ser levada em consideração é a compressão da mola, que deixa o funcionamento da mesma mais dura ou mais mole, é um fator essencial porque pode se adaptar não só ao gosto do ciclista, mas ao tipo de terreno que a bike está sendo submetida. Esse ajuste da compressão da mola pode ser feito de forma simples durante a pedalada, utilizado, em uma alguns modelos, um botão giratório no alto da canela. Prático, rápido e acessível, não é?

3. Já a regulagem de retorno, é outro tipo que diz respeito ao retorno da suspensão ao seu estado original, ou seja, volta como a original de fábrica, sem nenhum tipo de alteração.

Lembrando que para usufruir da sua bicicleta com excelência é importante manter a manutenção sempre em dia, além de conferir se as regulagens estão sendo sempre feitas por profissionais. Assim sua segurança estará garantida e a vida útil da sua bike será longa, pois segue as recomendações de fábrica, como a revisão regular e sistemas direcionados para ela.

Saiba mais sobre o mundo das bikes e do ciclismo aqui no nosso site.

Artigos relacionados
Manutenção de bike

Diagnóstico de ruídos comuns na bicicleta: guia completo

Pedalar é uma atividade prazerosa, mas nada pode ser mais irritante do que ruídos indesejados…
Leia mais
Componentes

Qual é o aro da Caloi 10?

Desde o seu lançamento em 1972, a Caloi 10 não é apenas uma bicicleta; ela é um legado que…
Leia mais
Componentes

Quando substituir o capacete após um acidente: um guia completo

Os capacetes são essenciais para a segurança dos ciclistas, protegendo a cabeça em caso de quedas…
Leia mais
Newsletter
Receba  novidades  do Bike Registrada

Receba toda semana matérias  e novidades do Bike Registrada

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?