Saúde e bem-estar

Exercícios isométricos para ciclistas são bons?

Quem pedala para melhorar sua saúde e condição física tenha provavelmente ouvido falar dos exercícios isométricos para ciclistas como uma maneira de melhorar a performance no pedal.

Mas será que é assim mesmo?

Nesse post analisaremos em detalhe o que são e quais são as vantagens e desvantagens dos exercícios isométricos para ciclistas.

Foto da capa: Reprodução Unsplash/Gabe Pierce

O que são os exercícios isométricos?

O termo \”isométrico\” vem de um dos estímulos nervosos que recebe um músculo e que gera uma contração

Basicamente os exercícios isométricos consistem em fazer uma contração muscular, mas mantendo o corpo fixo

Você não deve realizar movimento nenhum, e a força é gerada pela resistência.

Alguns dos exercícios isométricos mais conhecidos são a prancha ou algumas práticas do pilates ou do yoga mas, em geral, não precisam de equipamento. Só você, seu corpo e a gravidade.

Mas, falando de forma geral, existem dois tipos de exercícios isométricos.

Um deles consiste principalmente na resistência de uma carga, que pode ser seu próprio corpo.

O outro é superar uma carga, onde você já precisa vencer um peso que vai além da sua força total.

Para que servem os exercícios isométricos?

Embora pareçam exercícios mais bem simples, a verdade é que são bastante completos.

Os exercícios isométricos são muito usados pelos fisioterapeutas para o tratamento de lesões, por exemplo, mas sua prática regular traz muitos benefícios:

  • Ajudam na tonificação e fortalecimento muscular e, consequentemente, na prevenção de lesões.
  • Ajudam na melhora de lesões preexistentes.
  • No momento da prática, aumenta a pressão arterial, diminuindo, assim, os riscos de doenças cardiovasculares.
  • São ótimos para o alinhamento da coluna e a postura em geral.
  • Também são muito recomendáveis para fortalecer os tecidos fracos dos músculos isolados.
  • Os ossos também obtém benefícios sendo fortalecidos devido à melhora da densidade mineral óssea.
  • Fortalece os tecidos ao redor das articulações.
  • Ajuda na melhora da resistência e a potência muscular.
  • E, em geral, ativa nosso corpo inteiro!

Desvantagens e contraindicações dos exercícios isométricos

A primeira informação que você precisa saber é que os exercícios isométricos geram um grande aumento da pressão arterial durante a prática.

Isso pode ser bom para prevenir problemas cardiovasculares, mas precisam ser completamente evitados por aqueles que sofrem de hipertensão ou qualquer tipo de cardiopatia.

Também mencionamos acima que podem ser ótimos para o tratamento de lesões, mas que, ao mesmo tempo, são exercícios completos e intensos.

Fazer exercício isométricos sem um acompanhamento profissional ou os conhecimentos apropriados não só pode ser contraproducente para tratar essas lesões, senão que pode mesmo provocá-las.

Por último, uma das principais críticas desse tipo de exercícios é que melhora apenas o fortalecimento dos ângulos trabalhados.

Embora fazer exercícios isométricos repercute no corpo inteiro, você precisará de variedade.

Se for para melhorar lesões em pontos específicos, é ótimo trabalhar neles.

Mas, no caso de treino esportivo, é preciso ter alguns objetivos, e disso falaremos a seguir.

Os exercícios isométricos para ciclistas são bons?

Se você for usar os exercícios isométricos como treinamento para sua prática esportiva no pedal, é preciso saber o seguinte.

Uma das principais críticas desses exercícios, é que só trabalham em determinados ângulos e comprimentos.

Por exemplo, se você treina sempre flexionando os cotovelos a 90 graus, você estará trabalhando apenas esse ângulo e esse comprimento.

Ou seja, você não terá a mesma força em outros ângulos de flexão.

Isso é ótimo para trabalhar a força nos pontos que você considera mais fracos. Por isso falamos acima que o melhor na hora de decidir fazer exercícios isométricos é contar com um objetivo.

Caso você queira incorporá-los no seu treino habitual, então deverá considerar a variedade nessa prática ou, pelo menos, fazer os exercícios nas principais posições que você quer trabalhar para melhorar seu desempenho na bike.

Tendo esclarecido isso, no geral, sim, são muito recomendáveis os exercícios isométricos para ciclistas.

Não por nada o campeão olímpico de mountain bike, Nino Schurter, faz posts nas suas redes sociais praticando esses exercícios.

Os exercícios isométricos para ciclistas ajudam ganhar força em alguns músculos e regiões corporais específicas.

Portanto, se você tiver problemas pedalando nas subidas, por exemplo, os exercícios isométricos para ciclistas são ótimos para fortalecer os músculos envolvidos nesse esforço, melhorando, assim, seu desempenho.

Com os exercícios isométricos para ciclistas você pode fortalecer e prevenir lesões principalmente na região da coluna lombar, pelve e abdômen.

De fato, um fortalecimento nessa região contribui significativamente para a prevenção da fadiga, a melhora da produção de força e potência, e um aprimoramento da técnica.

Eles contribuem especialmente para ganhar potência, mas sem aumentar a massa muscular. Isso é muito útil para não incorporar mais peso na bike.

Além disso, esse exercício ajuda melhorar a resistência, tendo assim um melhor rendimento em práticas ou provas de longa duração.

E, como falamos acima, os exercícios isométricos para ciclistas também contribuem para uma melhora da capacidade cardíaca.

O que acontece se eu estiver lesionado?

Exercícios isométricos para ciclistas são bons

Foto: Reprodução Unsplash/Jonathan Borba

A prática dos exercícios isométricos para ciclistas pode ser de grande ajuda para tratar as lesões e que possam curar mais rápido.

É uma boa maneira de manter a tensão nos músculos quando precisamos ficar quietos durante um tempo devido a uma recuperação.

Ou seja, são ótimos para prevenir atrofia muscular e para auxiliar na recuperação de uma lesão.

Porém, tanto se estiver lesionado como se quiser incorporar os exercícios para melhorar seu desempenho, não é recomendável fazer exercícios isométricos para ciclistas sem acompanhamento profissional.

Nesse caso, o Bike Registrada oferece uma opção ótima para melhorar seu desempenho e ter o apoio de um profissional sem sequer sair da sua casa.

Contratando o Seguro Bike Registrada, você também pode ter acesso ao serviço de Personal Fitness.

Trata-se de uma proposta exclusiva do Seguro Bike Registrada onde você pode receber orientação profissional sobre as melhores rotinas de treinos para o seu biotipo, personal \”4U\”, avaliação do condicionamento físico e escolha da atividade física ideal para o seu perfil.

Isto é ótimo porque os exercícios isométricos para ciclistas não trabalham em todas as frentes. Portanto, é preciso complementá-los também com outro tipo de práticas.

Clique aqui e conheça mais sobre as vantagens de contratar o Seguro Bike Registrada!

Artigos relacionados
Preparação e práticaSaúde e bem-estar

Dor atrás do joelho ao pedalar: causas e soluções

Pedalar ao ar livre, sentir o vento no rosto e a liberdade de explorar trilhas e estradas é uma das…
Leia mais
Saúde e bem-estar

Caiu e bateu a cabeça? Veja o que fazer em caso de concussão

As concussões são mais comuns e sérias do que muitos imaginam, especialmente entre ciclistas. A…
Leia mais
EstudosPreparação e práticaSaúde e bem-estar

Estudo mostra como a posição do ciclista impacta na dor lombar e como prevenir

A dor lombar é uma realidade comum e desafiadora para muitos ciclistas, afetando tanto amadores…
Leia mais
Newsletter
Receba  novidades  do Bike Registrada

Receba toda semana matérias  e novidades do Bike Registrada

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?