Se você já está no mundo das bikes faz um tempo, principalmente nas modalidades MTB e BMX, provavelmente já ouviu falar do treinamento numa Pump Track. E, se ainda não conhece, então continue lendo!

Embora seja um conceito relativamente novo no Brasil, cada vez ganha mais adeptos, e em São Paulo inclusive foi inaugurada recentemente uma pista especial de Pump Track.

Confira nesse post tudo o que você precisa saber sobre esse tipo de pistas.

Pump Track? O que é isso?

Para falar de um treino numa pista de Pump Track antes devemos saber o que é o Pump.

Para ganhar velocidade andando de bike, o ciclista pode pedalar, descer uma ladeira e fazer pump que, no inglês, significa “bombear”.

Mas, como fazer o pump? É bem simples. Na hora de andar por uma pequena elevação de terreno (imagine, por exemplo, uma lombada), o ciclista faz força para cima, levando o corpo e a bike nessa direção, para aliviar o peso. Em seguida, o ciclista faz o oposto, ou seja, faz pressão com o corpo e a bike para baixo.

Dessa forma, o peso e a força do ciclista são usados ​​para ganhar velocidade. Num circuito com várias elevações do terreno é possível andar vários metros sem nem mesmo dar uma única pedalada.

Uma Pump Track, então, é uma pista que pode ser feita de terra ou asfalto, que conta de várias lombadas, também chamadas de rollers, onde o ciclista pode praticar o pump, treinando o corpo e a velocidade com essa técnica.

Uma Pump Track serve para treinar MTB?

O pump é uma técnica muito usada no MTB, e também no BMX. De fato, é especialmente recomendada como treinamento para essas modalidades.

Falar da utilidade de treinar para a modalidade MTB numa Pump Track é falar também dos benefícios desse treino.

Um deles é que permite economizar energia ao usar o próprio corpo para ganhar velocidade e superar obstáculos. Nem é preciso falar da importância de uma boa economia, distribuição e otimização da energia num circuito exigente e cheio de dificuldades.

Outra condição para andar num circuito de MTB é, sem dúvidas, a capacidade de reação. Numa trilha, a velocidade nos obriga a estar 100% atentos a todas as rachaduras, cantos e recantos do caminho.

Treinar numa pista de Pump Track permite melhorar nossa capacidade de reação, e também a coordenação motora, precisão e controle da bike. Uma pista de Pump Track é cheia de curvas e você precisa mudar de direção e manter o controle o tempo tudo, e saber quando dar velocidade. Realmente é um treino do corpo e da mente, das pernas, dos braços e da parte superior do corpo.

No início talvez você não perceba, mas, na hora de andar numa trilha, você entenderá o aporte que o treino numa Pump Track fez para sua performance. Muitos desses movimentos ficaram automáticos e, no fim das contas, você recolherá os frutos numa maior velocidade, menos cansaço e menos tempo para finalizar o circuito.

Obviamente o treino numa Pump Track tem seu impacto no físico, principalmente na melhora do fôlego e da capacidade cardíaca. Mas não fique só com essas palavras, experimente por você mesmo. Garantimos que depois de algumas voltas você ficará sem ar.

Atualmente existem algumas pistas de Pump Track espalhadas pelo Brasil. Uma das melhores, e de graça, fica no Parque das Bicicletas, em São Paulo. Também é possível treinar numa Pump Track no poliesportivo na região da Mooca e em Sacomã (SP), Cotia (SP), no The Box Skatepark em Santa Cruz do Sul (RS), na pista pública da praça principal da cidade de Antonio Carlos (MG), em Varzea Grande (MT), Araguari (MG), no Centro de Esportes Radicais (SP), Brumadinho (MG) e em Pindamonhangaba (SP) fica a maior pista de Pump Track do país!

Que tipo de bicicleta é necessária para andar numa Pump Track?

Qualquer tipo de bike dar conta de uma Pump Track, mas o mais lógico é que você treine com a mesma bicicleta ou alguma com características similares daquela que você vai usar no circuito de MTB ou BMX. Dessa forma, você conseguirá dominar melhor os movimentos com base no peso e as particularidades dessa bike.

Mesmo assim, há algumas recomendações que podem servir como base caso você esteja pensando em ter uma bike só para treinar.

As exigências da pista de Pump Track demandam o uso de uma bike que consiga dar conta de subidas e descidas bruscas. O alumínio é um ótimo material para isso porque, além de ser resistente, é leve. Dessa forma não só consegue lidar dos movimentos, mas também podemos tirar mais proveito da leveza para fazer render mais a nossa força.

O carbono e o aço também são bons para uma pista de Pump Track.

Se pensamos ter uma bike só para treinar, então vale a pena considerar a leveza como ponto forte. Isso significa que, além dos materiais, podemos treinar com uma bike que tenha só freio traseiro, por exemplo, e uma marcha só.

Assim, o treinamento estará focado principalmente na técnica e no desempenho físico.

No caso das rodas, aplica a mesma regra: é melhor se são leves e rígidas, por causa da exigência da pista, porque é preciso ter muita estabilidade. Aros leves, pneus de rolamento rápido, e o alumínio sempre presente, garantem o necessário para ganhar velocidade e estabilidade.

Porém, a leveza não é obrigatória. Sim, é recomendada, mas também há outros fatores valiosos em conta, e são o controle e a estabilidade.

Vale a pena mencionar que existem bikes especiais para treinar em pistas de Pump Track chamadas Dirt Jumper.

 

pump track

Equipamentos, dicas e cuidados para treinar numa Pump Track

  • Não precisa de muitos equipamentos, com exceção daqueles que garantem sua segurança, principalmente o capacete. Fora isso, pode adicionar os que você quiser, como cotoveleiras ou joelheiras para garantir maior segurança.
  • Antes de treinar, verifique que a pista está em boas condições. Caminhe na pista e depois faça uma pedalada leve antes de começar o treinamento propriamente dito.
  • Em relação ao ponto anterior, é bom considerar o clima caso a pista seja no céu aberto. Verifique a previsão do tempo para o dia do treino e também do dia anterior porque, embora no dia o clima seja bom, o solo pode não estar em condições ótimas caso tenha chovido no dia anterior por exemplo.
  • Embora não é recomendável que a pista esteja super molhada, sim é bom dar uma molhadinha caso o clima estiver muito seco para diminuir a poeira e evitar derrapes.
  • Não derrape de propósito. Isso afeta a superfície da pista.
  • Encha bem os pneus. No caso de bikes MTB, encher por volta de 60 psi. Se for usar outra bike, nunca mais do máximo recomendado para esses pneus específicos.
  • Baixe completamente o selim da bike. Isso melhorará a manobrabilidade.
  • Se a bike conta com suspensão, o melhor é travar a suspensão traseira para maior aceleração, mas isso não é obrigatório, porque numa trilha de fato você vai usar a suspensão. Então essa escolha fica por sua conta.
  • Não abuse do seu tempo. Se houver outras pessoas esperando a vez de pedalar, dê algumas voltas e deixe o lugar para os outros.
  • Não pedale lado a lado com outro ciclista e seja previsível. No caso de haver mais de um ciclista na pista, é melhor andar em diferentes áreas da Pump Track.

Num treinamento intenso, como numa pista de Pump Track, é normal que nossa bike precise de manutenção regular. Por isso, se você gostou desse conteúdo, não perca nosso ebook sobre Como fazer manutenção de uma bicicleta. É gratuito! Faça click aqui e baixe agora.

Imagens: Prefeitura Municipal de São Paulo

seguro de bike