Condutores estressados, falta de respeito no trânsito, travessias movimentadas, enfim, são muitos os riscos que algumas das cidades perigosas para andar de bicicleta trazem aos ciclistas. 

E é aí que uma atividade prazerosa pode acabar se tornando uma verdadeira dor de cabeça, já que você poderá estar colocando a sua vida em risco. Por isso, é muito importante saber quais cidades são essas. E, principalmente, quais locais devem ser evitados, a fim de não ter nenhum problema durante seu pedal. 

Veja o ranking das cidades perigosas para andar de bicicleta e as dicas que separamos! 

cidades mais perigosas para andar de bike
 

 

Estados mais perigosos para os ciclistas 

Um levantamento realizado pela Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet) trouxe dados relevantes para compreendermos mais a relação ciclista e motoristas. 

O estudo mostrou que, por ano, o SUS gasta em torno de R$15 milhões apenas para tratar os traumas causados devido às colisões de bicicletas com carros, motos, caminhões e outros veículos automotores. 

Nos últimos dez anos, a pesquisa apontou que 60% das mais de 13 mil mortes de ciclistas aconteceram devido a atropelamentos. 

E, segundo os dados compilados, a região sudeste é a mais letal para os ciclistas, com um aumento de 31,1% dos óbitos nos últimos 10 anos. O Rio Grande do Norte também teve um destaque negativo no estudo. Isso devido ao aumento impressionante de 1250% no número de internações por acidentes causados entre bicicletas e outros veículos, durante o período analisado. 

Outro estudo da Abramet revelou que, nos últimos 10 anos, São Paulo lidera o número de mortes de ciclistas no país. Ele possui pouco mais de 17% do total, seguido do Paraná, com 9,6% e de Santa Catarina, com 9,3%. 

cidades mais perigosas para andar de bike
 

 

Cidades perigosas para andar de bicicleta

Em algumas cidades brasileiras, pedalar é quase um ato de coragem. Infelizmente, ainda faltam iniciativas do poder público para tornar nossas cidades mais seguras para todos. E também falta conscientização por boa parte dos motoristas.

A questão é ainda mais visível nas grandes cidades. Apesar dos esforços de alguns políticos, a realidade está bem distante da ideal. Vamos ver quais são as cidades perigosas para andar de bicicleta no país. 

1. São Paulo 

A capital paulista não tem competições apenas no mercado de trabalho: existe uma verdadeira guerra no trânsito, inclusive entre motoristas e ciclistas. 

Apesar da inauguração de várias ciclovias nos últimos anos, a cidade ainda engatinha no que diz respeito a quem anda de bike. Principalmente em relação a ampliar os projetos de mobilidade urbana. 

Os dados são alarmantes. Apesar da pandemia e do isolamento social, o número de acidentes com ciclistas continuou crescendo. Em 2020, 17 ciclistas faleceram na cidade. Em 2021, já foram 26 mortes na capital. Isso significa um aumento de 52%! 

Existem alguns pontos que merecem atenção redobrada dos ciclistas, como:

  • a Rodovia Fernão Dias;
  • a Marginal Tietê;
  • a Avenida Raimundo Pereira de Magalhães;
  • a Rodovia Anhanguera;
  • a Avenida Aricanduva;
  • a Avenida Augusto de Castro;
  • a Avenida Professor Cosme;
  • a Avenida Giovanni Gronchi e muitas outras. 

Todas essas que citamos tiveram aumento de acidentes nos últimos 4 anos. 

Incluem-se ainda como vias perigosas a avenida do Estado, Sapopemba, Senador Teotônio Vilela, Rua Tietê e Voluntários da Pátria, bem como a estrada do Campo Limpo. 

Com a construção de ciclovias, como ao lado do rio Pinheiros, os ciclistas podem ter um pouco mais de segurança. 

Caso você use a bike como hobby, vá à Avenida Paulista, aos domingos, pois nesses dias o local fica fechado para o trânsito. O Minhocão também é uma boa pedida. Alguns parques, como Ibirapuera, Villa-Lobos, da Juventude, do Carmo e do Povo, também permitem pedalar. 

Além da preocupação com o trânsito, roubos de bicicleta também assustam – e existem alguns locais em que a situação está bastante crítica. Como: margem oeste da ciclovia Rio Pinheiros, ciclovia da Inajar, ciclovia Radial Leste, ciclovia do Parque Ecológico do Tietê, ciclovia da Avenida Politécnica, ciclovia da Avenida Sumaré e Viaduto Antártica, ciclovia da Faria Lima e ciclovia da Arthur de Azevedo. 

cidades mais perigosas para andar de bike
 

 

2. Rio de Janeiro 

Assim como São Paulo, o Rio de Janeiro também sempre aparece nas listas das cidades perigosas para andar de bicicleta. A cidade maravilhosa conta com desrespeito por parte dos motoristas e um grande número de roubos de bikes, como acontece nos arrastões. 

Um dos pontos que merecem atenção é a Ciclovia Tim Maia, na zona sul do Rio de Janeiro. Em 2020, alguns trechos desabaram, mas a população continuava usando o espaço. 

Na hora de pedalar, os ciclistas precisam ficar atentos em determinados locais, como:

  • na região da Lapa;
  • túnel do Rio Sul — que liga Botafogo a Copacabana;
  • Linha Vermelha;
  • avenida Brasil, Rio Branco;
  • Nossa Senhora de Copacabana;
  • Francisco Bicalho;
  • Presidente Vargas. 

Possuindo uma extensa orla, as ciclovias à beira-mar, em diversas praias do Rio, como a ciclovia na Avenida Niemeyer, ao redor da Lagoa Rodrigo de Freitas, são excelentes locais para pedalar. 

Apesar de estar na nossa lista, é importante salientar que o Rio de Janeiro é, hoje, uma das cidades brasileiras com maior número de ciclovias – com mais de 400 km, o que ajudou a capital a reduzir o número de acidentes fatais em 58%. 

3. Porto Alegre 

Em Porto Alegre, a avenida Beira-Rio, mesmo possuindo ciclovia, está entre as mais perigosas para andar de bicicleta assim, como as avenidas Ipiranga, Protásio Alves — na região do Bonfim — e Icaraí. 

Isso porque muitos carros cruzam as ciclovias sem respeitar os ciclistas, aumentando os riscos de acidentes. 

Parques que permitem a circulação de bikes podem te auxiliar a encontrar mais tranquilidade nas pedaladas. 

Ao longo da cidade, há mais de 13 ciclovias disponíveis e é indicado que você sempre explore esses trajetos. 

Diante de tantos perigos, os números de acidentes e feridos envolvendo bicicletas teve um aumento em 2021, com 179 ocorrências, 187 pessoas feridas e 2 mortes, entre janeiro e agosto do mesmo ano. 

4. Fortaleza 

Mesmo sendo uma cidade turística, totalmente ligada a uma boa receptividade para com os visitantes, Fortaleza ainda não é exemplo no quesito mobilidade urbana. 

A cidade convive com vários acidentes envolvendo ciclistas e motoristas e também conta com o aumento do índice de violência. 

Na avenida Bezerra de Menezes, por exemplo, apesar de existir uma ciclofaixa, há vários riscos para os ciclistas, como postes, pavimentação fora dos padrões adequados e até ganchos metálicos no chão. 

Assim como os demais exemplos de outras capitais, é preciso andar sempre nas ciclovias mais largas da cidade, como as situadas à beira-mar, com o objetivo de garantir sua segurança. 

Uma análise realizada pela Abramet registrou um aumento de 30% nos sinistros graves envolvendo ciclistas em todo o país. De acordo com o levantamento, Fortaleza é uma das cidades mais preocupantes do país, com aumento considerável dos sinistros graves. 

5. Salvador 

Uma pesquisa divulgada pelo Bom Dia Brasil mostrou que Salvador é uma das capitais brasileiras mais perigosa para os ciclistas. De acordo com os dados da reportagem, 56% dos ciclistas entrevistados disseram ter sofrido algum acidente na capital baiana. 

Na última década, mais de 140 ciclistas soteropolitanos morreram devido a acidentes de trânsito. 

Apesar disso, os governos da capital baiana têm investido em mudanças para tentar reverter o quadro. Em 2021, Salvador alcançou a marca de 310 km de rede cicloviária, um aumento de 610% em relação a 2012. 

6. Curitiba 

O Paraná, em geral, é um dos estados mais perigosos para os ciclistas, ficando em segundo lugar no número de ciclistas mortos desde 2010, apenas atrás de São Paulo, de acordo com o levantamento da Abramet. Outro levantamento, feito pelo Detran, mostrou que o estado registra uma média de 7 acidentes com bicicletas por dia. 

Assim, não é surpresa Curitiba estar na nossa lista das cidades perigosas para andar de bicicleta. De acordo com o Batalhão de Polícia de Trânsito (BPTran), nos 4 primeiros meses de 2021, a cidade registrou 93 acidentes envolvendo bicicletas, com 77 feridos e 1 óbito. 

Embora a cidade conte com várias ciclovias (mais de 200km) muitos ciclistas reclamam das condições dessas. Os principais problemas apontados são: falta de iluminação, integração limitada, conservação precária, dificuldade de integração entre bike e ônibus e roubos. 

7. Belo Horizonte 

A capital mineira, infelizmente, não foge da realidade das cidades perigosas para andar de bicicleta. 

No ano passado, a morte do ciclista Marcelo Soares dos Santos, atropelado pelo caminhão de uma mineradora, reacendeu o debate sobre a necessidade de se investir em locais seguros para os ciclistas transitarem – especialmente em relação às trilhas próximas da cidade. 

Durante a pandemia, o número de acidentes envolvendo ciclistas belo-horizontinos não diminuiu, pelo contrário – houve um aumento de 72%

Mas não é apenas os acidentes de trânsito que preocupam os ciclistas de BH, os roubos, infelizmente, também são uma constante. Entre 2019 e 2020, houve um aumento de 400% no número de roubos de bike. 

Como pedalar com segurança? 

Para não entrar nas estatísticas, é importante buscar algumas medidas que ajudam a pedalar com segurança, mesmo nas cidades perigosas. 

O próprio código de trânsito brasileiro traz várias orientações sobre o que os ciclistas podem e não podem fazer – e precisa ser respeitado. Nós separamos algumas dicas básicas capazes de ajudar. 

Não pedalar na contramão 

Esta é uma prática condenada pelo CTB e que também pode trazer uma série de riscos aos ciclistas. Algumas pessoas acreditam que ao andar na contramão, eles conseguem visualizar os carros vindo de frente e, dessa forma, estariam mais seguros. 

Contudo, a realidade é bem diferente, pois não há tempo de reação caso uma colisão ocorra. Além disso, no caso de colisões, as velocidades serão somadas, aumentando o dano causado pelo impacto. 

Evitar as laterais com trânsito parado 

Quanto mais o ciclista é visto, menores são os riscos corridos. Usar o canto da direita quando o trânsito está parado aumenta as chances de levar uma fechada, de alguém abrir a porta do carro na sua frente ou até de um passageiro saltar do ônibus fora do ponto. 

O CTB permite o ciclista trafegar pelo corredor quando o trânsito estiver parado. Nesse caso, se algum motorista colar na sua traseira, mantenha a calma e controle a velocidade. Quando tiver a oportunidade, abra passagem e sinalize com a mão para que ele faça a ultrapassagem. 

Atenção em curvas e rotatórias 

Jamais fique ao lado de veículos nas curvas e rotatórias, pois há um risco enorme de você acabar prensado. Quando estiver se aproximando de uma curva ou rotatória, ocupe a pista, e não deixe ninguém lhe ultrapassar ou aguarde até não ter nenhum carro perto. 

Lembre-se que quanto maior o veículo, mais a parte central dele chega próxima da guia em uma mudança de direção. 

Evite trafegar próximo aos cantos 

No começo, pode parecer mais seguro trafegar colado ao canto da via, mas essa é uma ideia extremamente perigosa. Afinal, o canto da via costuma ser repleto de buracos, grelhas de bueiro e outros obstáculos que podem causar acidentes. 

Se um motorista tirar fina de você, nessa situação, você ficará sem espaço para manobrar e poderá sofrer uma acidente mais perigoso, sendo jogado para baixo das rodas do veículo. 

Seja visto 

Sem dúvida, essa é uma das dicas mais importantes para pedalar nas cidades perigosas para andar de bicicleta. Use roupas claras, refletivas e também invista em faixas reflexivas para a bike ou os acessórios. 

Não se esqueça de investir em luzes na dianteira e traseira, garantindo que qualquer motorista conseguirá enxergar que você está trafegando na via. E isso não vale apenas para os passeios noturnos, mas para qualquer hora do dia. 

Atenção aos semáforos 

De modo geral, é importante respeitar o semáforo vermelho. Primeiro, para cumprir o CTB e, segundo, porque não é incomum que carros e outros veículos furem o sinal vermelho – e se você ultrapassá-lo nessa situação, poderá acabar se envolvendo em acidentes. 

Uma exceção, contudo, é quando você estiver pedalando em uma área com risco de roubo de bicicleta ou assaltos. Nesse caso, redobre a atenção com pedestres e cruzamentos para furar o sinal. 

Não escute música pedalando 

Ouvir música enquanto se pedala é relaxante e muito gostoso – mas só deve ser feito em vias sem carros ou movimento, porque poderá tirar totalmente a sua atenção e fazer você não ouvir um automóvel se aproximando. 

Para evitar problemas que possam atingir você nas cidades perigosas para andar de bicicleta, uma boa alternativa é proteger a sua bike de uma maneira inteligente, fazendo o registro da mesma. O serviço é gratuito e contribui para uma possível localização na ocorrência de furto ou roubo. Além disso, você pode transferir para um novo proprietário em caso de venda ou doação. 

Gostou de conhecer quais são as cidades perigosas para andar de bicicleta? Que tal seguir a gente no Facebook, YouTube e Instagram? Acesse nossas redes sociais e fique por dentro das novidades! 

Imagem: 0102