Para calibrar o pneu de bicicleta do jeito que ela vai te render bons pedais, há uma série de dicas para usar em cada aro — 26, 27.5, 29 e o 700. Cada um deles tem suas diferenças e particularidades, e você deve conhecer cada uma, além de outros detalhes que influenciam na calibragem.

Rendimento, segurança e a garantia de um pedal do jeito que você espera são em boa parte proporcionados por como você calibra os pneus. Definitivamente eles não são um detalhe em uma bike. O que faz com que você tenha cuidado na hora de calibrá-los, para acertar a pressão do jeito ideal.

Descer, subir, ganhar velocidade e ter tração. Neste post você vai aprender a alcançar tudo isso, aprendendo a calibrar o pneu de bicicleta em todos os aros. Confira!

POR QUAL MOTIVO É NECESSÁRIO CALIBRAR O PNEU? 

Manter a pressão correta dos pneus é um elemento muito importante dentro do ciclismo, pois ela afeta a maneira como conduzimos a bike o conforto da pilotagem. Além disso, uma bicicleta sem a calibragem necessária pode provocar:

  • Danos nas rodas, pneus e câmaras de ar;
  • Falta de amortecimento, já que não absorvem os impactos do chão; 
  • Acidentes causados pela instabilidade do pedal;
  • Sensação de cansaço, pois, por conta do atrito maior com o solo, a pedalada exige mais esforço do ciclista.

COMO SABER SE O MEU PNEU PRECISA CALIBRAR?

Para calibrar o pneu de bicicleta deve-se estar atento ao primeiro sinal, logo que perceber que ele está murchando. Se isso não for feito, o ciclista corre o risco de ficar na mão, caso ele resolva esvaziar de vez. 

A única maneira de saber realmente se chegou a hora de calibrar é prestando atenção visualmente no pneu e observando as mudanças que acontecem durante o pedal. Você pode até testar com as mãos, pressionando o pneu, mas, é inevitável sentir a pedalada mais dura e desconfortável. 

CONFIRA AS PRINCIPAIS DICAS PARA CALIBRAR O PNEU DE BICICLETA

 

Antes de você entender qual é a de cada calibragem de pneus de bike, é preciso conhecer várias dicas que servem para todos os aros. Ou seja, calibrar pneu de bicicleta, na prática, não é algo de outro mundo, mas sem conhecer alguns detalhes, você vai errar.

1 – TENHA ATENÇÃO AO TIPO DE TERRENO

A primeira dica para acertar na calibragem de pneu de bike é pensar no terreno em que você vai pedalar. Terra, asfalto, barro, pedras, subidas e descidas devem guiar a sua calibragem.

Para as mountain bikes, se você vai para as trilhas de barro e areia, deve usar uma calibragem mais baixa. O motivo é que esses tipos de solo são “fofos”, e exigem que a tração seja maior.

Já se vai fazer mais subidas e pegar trechos de asfalto, deve investir em uma calibragem próxima ou mesmo igual ao limite indicado de pressão no pneu. Desse jeito os pneus terão boa rolagem, sem o risco de furarem ou de você fazer muita força para manter a velocidade.

2 – SEMPRE CONSIDERE O PESO DO CICLISTA

O peso do ciclista faz a diferença na hora de calibrar o pneu de bicicleta. É igual a um carro: quanto mais carga, mais pressionado os pneus vão ficando.

Assim, para pessoas com maior peso, por exemplo, acima de 100kg, é recomendável usar calibragens mais altas, para não ter o risco de o aro bater no chão. Pois, com o pneu mais pressionado, isso tende a acontecer.

Já para pessoas com menor peso, devem seguir as recomendações descritas os pneus da própria bike, e considerar o tipo de terreno em que vão pedalar.

3 – ENTENDA O QUE É PRESSÃO E VOLUME DE AR

Uma coisa é a pressão de ar, e outra é o volume de ar calibrado em um pneu de bicicleta. E você deve saber a diferença entre cada para evitar acidentes.

Quando você enche um pneu de bike no posto de gasolina ou em casa, com uma bomba de pé, no manômetro — indicador de pressão — aparece qual é a calibragem dele. Essa é a pressão do ar, e não o volume.

Quando você percebe que um pneu demora para encher, exigindo várias bombadas ou cargas de ar do aparelho, esse é o volume de ar.

Nas road bikes, a pressão de ar sempre é alta, mas, o volume é baixo; enquanto nas mountain bikes, o volume é grande e a pressão é pequena.

Logo, não tente colocar mais ar ou pressão em um ou outro pneu, achando que todos são iguais, pois cada um tem sua marcação na lateral — em PSI ou LBS.

 

Créditos: PxHere

4 – CONHEÇA OS PNEUS TUBELESS

Os pneus tubeless têm maior resistência para aguentar mais pressão de ar. Isso ocorre porque sem câmara, há menos material dentro do pneu, exigindo mais ar para preenchê-lo.

O outro motivo é que os pneus sem câmara levam selante por dentro, um líquido que fecha um furo quando ele acontece, sem que você precise remendar ou trocar a câmara. E para que o produto tenha esse efeito, o pneu precisa de muito mais ar do que um pneu que usa câmara.

5 – SAIBA O QUE É UM PNEU DE KEVLAR E UM PNEU DE ARAME

Outro aspecto importante para você calibrar o pneu de bicicleta do jeito certo, é levar em conta se ele é de arame ou de kevlar.

O motivo é que os pneus de kevlar têm menos borracha na composição, o que os faz mais sensíveis para alguns terrenos — como os de cascalho e rochas. Por isso, você não deve colocar tanta pressão neles, pois eles ficarão muito “esticados” com mais áreas vulneráveis.

Já os pneus de arame suportam mais pressão justamente por causa do arame que rodeia as duas bordas do pneu — as partes que ficam presas ao aro. Além disso, esse tipo de pneu tem mais borracha na composição, que o torna muito resistente.

6 – TOME CUIDADO COM OS AROS DE PAREDE SIMPLES

Até os tipos de aros interferem na hora de calibrar o pneu de bicicleta. Quando o aro é de parede simples ele é menos resistente a altas pressões, e quando é de parede dupla, consegue aguentar mais volume e pressão de ar.

Logo, até mesmo se for preciso desmontar as rodas para confirmar se a parede do aro da sua bike é simples ou dupla, é o ideal. Assim, nos aros de parede simples, você não vai correr o risco de explodir o aro, o pneu e a câmara da sua bike, e ter um grave acidente.

Créditos: PxHere

7 – TENHA UMA BOMBA DE PÉ

A bomba de pé facilita a vida de qualquer ciclista, seja para encher os pneus antes de sair para o pedal de manhã, ou para calibrá-los antes de uma competição.

Esse modelo também é muito melhor para quem pedala com bike de estrada, pois mesmo no posto de gasolina é difícil calibrar os mais de 100 PSI exigidos pelos pneus.

No mercado, existem bombas de pé que chegam a calibrar até 140 PSI, facilitando seus treinos e passeios, nesse sentido.

UTILIZANDO CORRETAMENTE A BOMBA DE PÉ 

Nem todo mundo sabe como calibrar o pneu de bicicleta e está tudo bem. A bomba de pé é bem simples e fácil de manusear. A trava da bomba deve ser levantada na posição de 90 graus.

Encaixe a extremidade da bomba no bico da válvula e a trave completamente. Ao iniciar a pressão, tome cuidado para não levar a bomba rente as extremidades, nem de cima e nem de baixo. Isso evitará que ela se quebre.

O bombeamento do ar deve fluir diretamente para a câmara. Mas, se por acaso, você ouvir um chiado, significa que a bomba não foi enxadada corretamente na válvula. Será preciso repetir todo o procedimento e pressionar um pouco mais a bomba na válvula. 

TIPOS DE VÁLVULAS UTILIZADAS EM BICICLETAS

Atualmente, existem dois tipos diferentes de válvulas mais usadas para bicicletas, mas, às vezes elas são chamadas por nomes diferentes. Antigamente, era muito comum ver também nesta lista a válvula Dunlop, mas ela está cada vez mais em desuso. Conheça as principais: 

VÁLVULA SCHRADER OU BICO GROSSO 

Automática, ela é muito robusta e pode ser inflada confortavelmente em qualquer posto de gasolina. A operação de enchimento é muito simples com uma válvula automática: basta enchê-la e pronto! Tirar o ar é um pouco mais complicado: você precisa usar um objeto pontiagudo para pressionar o pino de metal embutido na válvula.

Outra questão também é que esse tipo de válvula é mais resistente a bombas manuais de ar. Ela pode ser usada, principalmente em lugares onde não tenha uma estrutura, mas será uma tarefa muito mais cansativa. 

VÁLVULA PRESTA OU BICO FINO 

Esta é a válvula tradicional para bikes de speed e MTB, em níveis acima do intermediário. Simples, ela requer apenas um orifício muito estreito no aro e suporta bem a pressão de ar relativamente alta necessária para uma bicicleta de percursos mais intensos.  

No entanto, o pequeno pino de metal na ponta da válvula é muito sensível, mas impede que o ar escape. Antes de usar a válvula Presta, você precisa soltar a pequena porca da ponta. Por não possuir mola em sua estrutura, ela é bem fácil de encher com bombas manuais. Por isso, para que ela seja bombeada em compressores de ar em postos de gasolina, é preciso de um adaptador. 

COMO CALIBRAR O PNEU DE BICICLETA?

Agora que você já sabe quais são as principais dicas para calibrar os pneus de bike, veja as tabelas com os números de base para calibrar cada aro corretamente.

Aro 26 – Pneus 2.0 a 2.25

Aro 27,5 (650B) – Pneus 2.0 a 2.25

Aro 29 – Pneus 2.0 a 2.25

Aro 700c – Pneus 23 a 30

Vale a pena experimentar um pouco, pois as situações variam de ciclista para ciclista. No entanto, com a pressão certa para calibrar o pneu de bicicleta, você pode garantir o passeio mais confortável, eficiente e seguro, melhorando assim a sua experiência no ciclismo.

Mas, atenção! Essas informações sobre a calibração de cada aro são gerais. É importante conferir sempre as recomendações diretas do fabricante. Geralmente ela vem impressa na lateral dos pneus. Caso não tenha, utilize como base as tabelas. 

COMO SABER SE A MINHA CALIBRAÇÃO ESTÁ CORRETA? 

 

Se você não tiver um medidor de pressão para calibrar o pneu de bicicleta, alguns testes manuais podem ajudar, embora não sejam precisos em todos os casos. O pneu deve ceder muito pouco quando pressionado com força. Além disso, tente pressionar todo o seu peso no selim. Vai ser possível perceber uma pequena deformação dos pneus.

No entanto, a única leitura totalmente correta só será dada por um medidor de pressão de pneus de bicicleta. Se você leva a sério a otimização da pressão dos pneus, vale a pena investir em um manômetro de qualidade. Existem modelos analógicos e digitais. Para utilizá-lo, basta enganchar o aparelho no bico da válvula para obter a leitura.

COMO FUNCIONA A CALIBRAÇÃO NO POSTO DE GASOLINA

Os postos de gasolina utilizam as máquinas de compressores de ar sob pressão. Eles são automáticos e não precisam que sejam nomeados manualmente. Seu uso não é exclusivo apenas para pneus de carro. 

Ele também pode ser utilizado para calibrar o pneu de bicicleta. Mas, pode ser que, em alguns casos, seja necessário o uso de um adaptador no bico da válvula. Confira o passo a passo de como ele funciona: 

1° – Tire a válvula do seu pneu e teste a compatibilidade com o compressor;

2° – No painel digital, coloque a pressão de acordo com o fabricante do pneu ou com a tabela disponível acima. Lembrando sempre de escolher a opção psi/libras; 

3° – Em alguns lugares o bico da pressão costuma ter uma trava. Se tiver, a utilize. Senão, segure firme enquanto o ar entra. Existem modelos que só funcionam com ao serem pressionados;

4° – O calibrador digital consegue mostrar no painel o quanto de ar existia dentro da câmara e o quanto a mais será inserido. Ele automaticamente já calcula a pressão total;

5° – Um som será emitido ao final do processo. Teste com o próprio calibrador para assegurar o índice de pressão;

6° – Após o término, basta fechar a sua válvula.  

Como a pressão é mais alta nas bombas automáticas do posto de gasolina, é bom saber que, caso a sua câmara não seja de boa qualidade, é possível que ela estoure. Fique ligado! 

QUANDO CALIBRAR O PNEU DE BICICLETA NOVAMENTE? 

Essa é uma pergunta que todo mundo acaba se fazendo. Para quem utiliza a bicicleta no dia a dia, em ambientes urbanos, não há problema em verificar a pressão dos pneus a cada duas semanas. Mas, se você é um ciclista esportivo, que treina principalmente longas distâncias, é recomendado verificar a pressão antes de cada pedalada.

Agora que você já sabe como calibrar o pneu de bicicleta corretamente, é hora de partir para pedais muito melhores em todos os sentidos. Pode parecer besteira, mas o simples fato de usar os pneus com a pressão e o volume de ar adequados, muda muito o seu rendimento e segurança nos terrenos. Bons pedais!

Aproveite e junte-se aos mais de 300 mil ciclistas que contam com a Bike Registrada. Registre GRATUITAMENTE a sua bicicleta na Bike Registrada, para que ela fique em um banco de dados que a protege de roubos e furtos!

seguro de bike