As bikes elétricas estão se tornando cada vez mais populares. Bonitas, práticas e versáteis, elas são ótimas substitutas dos carros e outros meios de transporte, ajudando a reduzir o impacto ambiental e a melhorar o trânsito nas cidades.

Se você está pensando em adquirir uma bike desse tipo, é importante entender melhor como funciona o acelerador bicicleta elétrica e o pedal assistido — já que as duas tecnologias podem estar presentes, dependendo do modelo.

Siga conosco!

Pedal Assistido

O pedal assistido (pedelec) é o item que distingue as bicicletas elétricas das tradicionais. Conforme você pedala, aciona o motor e isso lhe dá uma propulsão maior, sendo útil, especialmente, em percursos com subidas.

A potência dessa propulsão dependerá do modelo, alguns conseguem aumentar em 30% e outros em até 200%.

Alguns modelos têm uma gradação na assistência do pedal, variando entre:

  • baixa: fornece pouca assistência elétrica, então o ciclista terá que fazer mais força física para pedalar e, consequentemente, fará mais exercício;
  • média: é uma assistência equilibrada, com uma força mediana entre o que você precisa exercer no pedal e o quanto o motor lhe ajuda;
  • alta: é ideal para subidas ou para quando você precisa de mais velocidade, por exemplo para ir trabalhar sem suar demais. Nesse caso, o motor elétrico fornecerá mais potência e o seu esforço físico será menor.

O pedal assistido também pode ser encontrado de diferentes formas. Alguns funcionam por sensor de toque, medindo a quantidade de força que você está colocando nos pedais e aumentando ou reduzindo a assistência elétrica conforme a sua força de pedalada.

A vantagem é que este sistema proporciona uma sensação mais intuitiva, emulando muito bem a força do pedal. Normalmente, esse tipo de pedelec é encontrado nos modelos de bikes elétricas mais caros.

Também existe o sensor de cadência que fornece assistência elétrica quando as manivelas da bicicleta estão girando. Assim, o motor fornecerá apenas a assistência que você selecionou e não aumentará ou reduzirá a potência com base na força do seu pedal. Então mesmo que você esteja pedalando leve ou forte, o nível de assistência será o mesmo.

Independentemente do tipo do pedelec, todos funcionam de maneira mais ou menos semelhante: quando você começa a pedalar, o motor começa a agir, antes mesmo de você realizar uma rotação completa. Essa rapidez é muito útil para superar a inércia inicial de começar a pedalar.

acelerador de bicicleta elétrica

Acelerador Bicicleta Elétrica

O acelerador bicicleta elétrica pode estar presente em alguns modelos. Ele funciona de maneira semelhante ao acelerador de uma moto ou scooter, ou seja, quando você acionar o acelerador, o motor fornecerá potência e impulsionará a sua bicicleta para frente – sem que você tenha de pedalar.

A maioria dos aceleradores de bicicletas elétricas permite um ajuste preciso entre potência alta e baixa. Em alguns países, as bikes elétricas não podem ser comercializadas com o acelerador bicicleta elétrica porque senão elas seria equiparáveis às motos e teriam que entrar em regras de trânsitos específicas.

Você poderá encontrar alguns tipos diferentes de acelerador bicicleta elétrica, como:

  • acelerador de meia manopla, que é acionado quando você gira a manopla, de maneira semelhante aos aceleradores das motocicletas;
  • acelerador de pressão, que funciona quando a pá do acelerador é acionada para frente com o polegar do ciclista;
  • acelerador de polegar, é acionado pressionando um botão para frente com o polegar;
  • acelerador com botão liga-desliga, no qual não há como ajustar a potência.

Acelerador bicicleta elétrica + Pedelec

Algumas bikes são equipadas com as duas funções, ou seja, contam tanto com o acelerador bicicleta elétrica, como o Pedelec.

Nesse caso, você poderá optar em como deseja operar a magrela, no modo de assistência de pedal, continuando pedalando e recebendo um impulso do motor elétrico, ou apenas no acelerador.

Legislação Brasileira

No Brasil, a Resolução nº 465/2013, do Contran, prevê que a bicicleta elétrica com Pedelec não deve exceder a velocidade de 25 km/h e precisa ter uma bateria de até 350 W. Nesses casos, ela fica isenta de cobranças como DPVTA (Seguro Obrigatório) e IPVA.

Já quando há a presença do acelerador bicicleta elétrica, a bike passa a ser enquadrada como ciclomotor e exige Carteira de Habilitação categoria A do ciclista, emplacamento e recolhimento dos tributos.

Qual o melhor modelo de bicicleta elétrica?

Tudo depende das suas características, necessidades e exigências enquanto ciclista. Se você deseja ter a opção de não pedalar, por exemplo para quem realiza trajetos mais complicados ou não deseja chegar muito suado no trabalho, a opção de acelerador bicicleta elétrica é fundamental.

Porém, se você curte pedalar e deseja ter uma bike elétrica mais intuitiva, o ideal é optar pelos modelos com Pedelec (o que também é vantajoso para quem deseja fugir dos impostos ou não tem carteira de motorista).

E, para quem tem ambas as necessidades, nada melhor do que as bikes que contam com as duas alternativas, dando ao ciclista mais liberdade de escolha.

De qualquer forma, quando for optar, prefira os modelos em que você possa definir a potência da bateria (baixa, média ou alta) e visualizá-la diretamente no painel. Assim, será mais fácil gerenciar o consumo de energia.

Outros pontos a analisar

Além da aceleração, quando você for comprar uma bicicleta elétrica, é claro, deve analisar outros pontos importantes.

Bateria

A bateria de íons de lítio é a mais indicada, já que estes modelos são mais leves, duráveis, não viciam e suportam entre 200 e 1000 recargas. Avalie ainda o tempo de carga e de autonomia da bateria. Se o tempo de carga for maior do que seis horas, e a autonomia for de baixa quilometragem, isso poderá atrapalhar seus pedais.

Painel ou Visor

Fundamental para qualquer bicicleta elétrica, por isso vários modelos já contam com esse item de fábrica (mas outros ainda não, podendo ser realizada a adaptação). A peça costuma ficar na mesa ou no guidão e permite o ciclista visualizar o nível de bateria, a potência usada e a velocidade da bicicleta.

Garantia

Analise a resistência do sistema para chuvas e calor extremo, além do prazo de garantia oferecido pelo fabricante. Confira, ainda, se há assistência técnica de fácil acesso para manutenções na parte elétrica e se é possível comprar uma nova bateria ou peças de reposição.

Gostou deste conteúdo? Já sabe tudo sobre acelerador bicicleta elétrica? Aproveite para ler o nosso comparativo entre bike elétrica e convencional e defina qual é melhor para suas necessidades!

seguro de bike