Na hora de escolher qual dos vários aros de bike é o ideal para você pedalar melhor, é mais do que necessário saber sobre o que cada um deles oferece. Seja para encarar single tracks ou pedalar pela cidade, acertar na escolha do par de aros vai fazer toda a diferença para você encarar qualquer desafio na bike. Acabe agora com suas dúvidas sobre esse assunto!

Então, vamos logo conhecer a lista completa com tudo o que você precisa saber:

  • Materiais: tipos, formatos, usos e cuidados.
  • Aros e pneus: essa relação também conta na sua escolha.
  • Tamanhos e modalidades: 26”, 27.5”, 29” e 700c – o que é que cada aro tem?
  • Recomendações e dicas.
  • Conclusão: qual é o melhor aro para mim?

Materiais: tipos, formatos, usos e cuidados

Agora vamos conhecer e entender quais as características e vantagens de cada tipo de material usado nos aros. Os principais tipos de materiais dos aros de bike são aço, alumínio e fibra de carbono.

Aço

O aço carbono dominou o mercado de aros por muitas décadas e ainda é encontrado em bikes de entrada. Feito com uma liga de aço carbono e outros metais, esse material é o mais o pesado que os outros e é usado na maioria das bikes de aro 26 de baixo custo.

Formatos

Aros de aço carbono, são em sua maioria, feitos com folha simples e em formato quadrado, próprios para uso em bikes com freios v-brake, em que as sapatas devem pegar nas laterais do aro.

Usos e cuidados

Seu uso é indicado para passeios em rotas urbanas, o que não o impede de encarar uma trilha de terra batida bem leve (mas bem leve). O ponto alto do aro feito com aço carbono é seu baixo custo. No entanto, tenha em mente que ele é o mais frágil em relação a impactos e peso do ciclista que os outros. Também possui potencial foco de ferrugem. Então, já sabe, se decidir por esse material, fique longe de buracos e pedras, mantenha a dieta e fuja da chuva. Se eles pegarem água, seque-os logo!

Alumínio

Aqui a proposta é pegar leve no material e mais forte na pedalada. Em sua chegada ao mundo das bikes, o alumínio era um material com alto custo para equipar numa bike. Mas, hoje em dia, é possível ter bons aros de bike em alumínio em bicicletas de entrada, tanto nas medidas 26”, 27.5”, 29” e 700c, sem pesar no bolso.

O aro de alumínio é feito de uma liga específica, às vezes misturada ao aço e outros metais, para dar leveza e muita resistência. Combinado a isso está o uso da folha dupla, em que a segunda camada fica dentro do aro. Isso garante a segurança de um pedal mais forte na cidade e em trilhas com terrenos ‘casca grossa’. Ainda existem aros de alumínio em folha simples, resistentes também, mas nem tanto como os de folha dupla.

Outro ponto importante desse aro é que em alguns modelos intermediários e tops de linha, ele vem com o ilhós, que é uma espécie de rebite no furo em que o raio e o seu respectivo niple aquela peça minúscula que prende o raio no aro – é colocado. O ilhós reforça o apoio ao raio e garante mais rigidez para o conjunto da roda, ideal para fortes impactos. De quebra, há opções de ilhós colorido, para dar aquele toque especial na sua bike.

Formatos

Eles podem ser aero, em que a base é larga e seu perfil é fino, o que traz boa aerodinâmica para cortar o vento e ganhar velocidade. Nesse formato são mais voltados aos freios v-brake, cantilever ou as ferraduras, usados nas road bikes e em algumas BMX ou bike trial. Aros de bike em alumínio também podem ter a forma arredondada, sem pistas de freio, neste caso, para freios a disco.

Usos e cuidados

O aro de alumínio ocupa a maioria das modalidades, então é indicado para passeios longos e trilhas leves, moderadas e pesadas, ciclo viagens etc. O alumínio ainda é muito resistente à corrosão e tem custo relativamente baixo em modelos de entrada, sem perder a segurança e rendimento. Sua manutenção também traz essa característica, servindo desde os usos recreativo e entusiasta ao amador e profissional.

O aro de alumínio com pistas para sapatas de freio deve ser alinhado com periodicidade. Já que qualquer ondulação em sua parede pode bater na sapata e segurar a roda, ou pior, travá-la! Na chuva, as sapatas demoram para frear, já que o aro está molhado, então tome cuidado! Já os aros para freios a disco não têm esse problema.

Fibra de carbono

Este é o material dos aficionados por gramas a menos em suas bikes. Feito com tramas de minúsculas fibras de carbono misturadas à resina e outras substâncias, o carbono figura sempre nas peças de topo de linha do mundo das bikes.

Formatos

É mais resistente do que o alumínio, extremamente leve e, consequentemente, com custo elevado. Como este material pode ser manipulado de várias formas na sua fabricação, os aros de bike em fibra de carbono podem ser em formato aero, arredondado, achatado e também ser totalmente fechado (neste caso, com o cubo já instalado e sem raios). Há ainda alguns aros desse tipo que combinam alumínio em suas pistas de freio.

Usos e cuidados

Um aro de fibra de carbono é mais procurado por ciclistas exigentes e também por profissionais, já que seu peso influencia diretamente a performance. Pode ser usado em trilhas moderadas e de alto nível, e em competições nas mountain bikes, ou em treinos e provas nas road bikes.

As sapatas de freio para aros de bike inteiramente de fibra de carbono devem ser obrigatoriamente para fibras de carbono. Se você usar outras, além de não frear, elas vão detonar o seu aro e você não vai gostar nada disso.

Mesmo sendo muito resistente, o aro de fibra de carbono pode rachar se bater contra alguma coisa com muita força. E, definitivamente, ele não tem conserto. Seu alto custo também o torna um produto mais procurado por competidores e atletas.

Aros de bike e pneus: essa relação também conta na sua escolha

Os aros de bike também podem ser preparados para diversos tipos de pneus, e é bom saber disso na hora de adquirir seu novo par de aros. Se você quiser fazer um upgrade, pode ter um aro próprio para o avanço, se não, vai ter que comprar outro.

Veja os três tipos de aros de bike para tipos de pneus diferentes: com câmara, sem câmara e tubular.

Com câmara (clincher)

Esse é o mais conhecido e padrão mundial para a maioria dos ciclistas entusiastas. O aro de tipo clincher tem, em sua parte interna, bordas retas que seguram o pneu com arame quando a câmara está cheia. Aqui não há segredo, é só comprar o aro e montar o pneu e câmara nele, encher e colocar na bike para rodar!

Sem câmara (tubeless)

Para perder umas gramas na bike, todo esforço vale a pena. Os aros tubeless têm o seu formato interno com bordas que ‘agarram’ o pneu e o seguram quando ele está cheio de ar e selante. O selante deve ser utilizado em aros tubeless para vedar e proteger o pneu contra furos pequenos. Ainda há os aros de bike chamados tubeless ready, que podem ser usados com câmara ou transformados em tubeless com kits específicos para este upgrade. Procure os kits nas bike shops de sua região!

Vale lembrar que os pneus para este tipo de aro devem ser próprios para este sistema. O tubeless oferece mais leveza à sua bike e deixa o pneu mais acomodado e melhora a tração dele, mas tem um custo mais elevado também.

Tubular

Essa opção é especificamente voltada às bikes de road, triatlo e de pista (velódromo). Estes aros de bike são próprios para os pneus tubulares, que são fechados, parecendo uma mangueira, e colados (isso mesmo) nos aros.

O tubular é típico para provas de velocidade, em que cada milésimo de segundo é crucial para a vitória. Esse modelo é mais fabricado como roda pronta (aro, cubo e raios), então se você quiser apenas o aro tubular, vai ter que pesquisar bem.

Tamanhos e modalidades: 26”, 27.5”, 29” e 700c – o que é que cada aro tem?

Mas afinal, e os tamanhos dos aros? Como posso escolher o melhor para mim? Calma, trouxemos todos os diâmetros e explicações sobre cada um deles. Vamos lá!

Aro 26″

Este é o que ainda impera na maior parte das bikes no mundo. O aro 26 é oferece muita agilidade e peso reduzido em comparação com aros maiores e eficiência em diferentes terrenos de cidade e trilha.

Alguns fatores fazem com que esse seja um aro tão usado: ele pode ser usado por diferentes públicos, estaturas e pesos, seu custo é baixo em grande parte dos modelos disponíveis no mercado, e em qualquer bike shop ou bicicletaria de bairro sempre terá um à sua disposição.

Mesmo com toda a oferta e demanda de bikes e componentes para aro 29 desde 2013, o 26” ainda tem o seu espaço. Ele é um dos aros de bike mais resistentes por seu diâmetro compacto e é o que deixa a bike mais ‘na mão’ porque é usado em bikes com a distância entre eixos curta. Você também não terá dificuldades de encontrar aros de bike 26” e seus outros produtos – pneu, câmara, raios, quadro e suspensão.

Se você gosta de uma bike mais ágil e leve, se aventura por single tracks e curvas ‘travadas’, o aro 26 pode se encaixar ao seu uso. Mas, ele também tem suas desvantagens, como menor área de contato com o solo, o que prejudica sua tração e estabilidade. Esse aro também demanda mais força das suas pernas na ultrapassagem de obstáculos, já que o ângulo de ataque de uma 26” é grande, ou seja, o grau do espaço entre a roda e o obstáculo a ser atravessado é maior.

Com todas essas características, o ‘irmão pequeno dos aros de bike’, ainda é usado nas modalidades MTB cross country (XC) – hoje dominada pelas 29” – enduro/all mountain, downhill, dirt jump, urbana e fatbike.

Aro 27.5″

Dizem que o meio termo é o que une o melhor e o pior de seus extremos. Será mesmo? O aro 27.5 vem conquistando cada vez mais espaço justamente por se aproximar das características de uma bike 29”, com algumas similaridades da 26”.

Por ser um aro maior que o 26”, ele ganha em área de contato com o solo, o que oferece mais tração e estabilidade – ideal para curvas e altas velocidades na terra. Também mantém a velocidade com mais facilidade do que numa 26”, fazendo o seu pedal render mais com menos giros de pedivela. A distância entre eixos de uma bike 27.5” é minimamente maior do que numa 26”, então ela ainda assim é uma bike bem ágil para trilhas e curvas fechadas.

Os pontos baixos neste aro, são – acredite se quiser – o próprio aro e seus respectivos quadros, suspensões e câmaras; por um motivo específico: não é em toda bike shop que você vai encontrar um estoque de produtos e aros de bike 27.5”. Mas calma, o mercado está ganhando mais adeptos deste aro e as lojas já estão recheando seus estoques e vitrines para atender os ciclistas malucos por 27.5”!

Gradativamente, os aros de bike 27.5 conquistam a confiança de cada vez mais bikers e já são bastante usados para MTB XC/trail, enduro/all mountain, downhill e em alguns modelos urbanos.

Aro 29”

Atualmente a rainha dos aros de bike, o aro 29” veio para provar que sim, tamanho é documento. Basta você olhar para as bikes da galera no domingão para ver que há várias delas nas ruas e trilhas.

Uma bike com aro 29” tende a ter arrancadas lentas, por conta do grande diâmetro, mas assim que ela embala, haja freio para segurá-la. Com maior área de contato com o chão, que gera maiores estabilidade e aderência ao terreno, ângulo de ataque pequeno frente a um obstáculo, a 29” passa ‘de boa’ em buracos que seriam sofríveis para uma 26”. O aro 29″ ainda mantém a velocidade alta constante sem pedaladas de força e traciona bem em subidas ‘cascudas’.

Mas, como nem tudo na vida são flores, o aro 29” pode não ser uma boa opção se você pedala em trilhas extremamente técnicas e precisa de muita agilidade para curvas fechadas. Com a distância entre eixos maior, a 29” pode ser difícil de manobrar.

Outro ponto que muitos ciclistas discutem em relação às 29” é sobre a estatura mínima para usá-la. Muitos estudos apontam que o ciclista que tem 1,80m para acima, deve optar logo pela 29”, enquanto pessoas com tamanhos menores, devem buscar aros de bike 26″ ou 27.5″. Mas, com o avanço dos estudos e testes em bikes com aro 29, hoje elas são bem desenvolvidas para diversas estaturas.

Um ponto a ser tratado com cuidado nestas bikes é que, assim como o tamanho do aro é maior, o restante da bicicleta também deve ser proporcional para encaixar o rodão. Então, tubos de quadro para aro 29 são maiores. Mas, cuidado, isso não justifica que uma pessoa que usa tamanho L (19”) numa aro 26, compre uma aro 29 tamanho M (17”)! O ideal é olhar as medidas e ver qual dos aros de bike se encaixa melhor a você.

Aro 700c

Sempre rodando na mesma de sempre, as bikes de estrada usam há décadas o aro 700c, que na verdade é igual ao aro 29”, porém com sua largura interna mais estreita. Porque os pneus que servem para a 700c são finos.

Este aro traz pouco peso e uma certa fragilidade, pois são desenvolvidos com a intenção de ganharem velocidade. Aros de bike de perfil para estrada – com exceção das ciclocross, que vão à lama e pedras com a ajuda de pneus largos e com cravos – servem para treinos no asfalto, pela agilidade e leveza.

Mas, se sua intenção for passear pela cidade, essa também pode ser uma boa opção, já que inúmeros modelos urbanos dispõem dos aros de bike 700c em perfis de quadro confortáveis. Seja para velocidade, trilha ou passeio o aro 700c é encontrado nas road bikes, triatlo, ciclocross, urbanas e híbridas.

Recomendações e dicas

Existem outros aros de bike que não comentamos aqui, como os 20” e 24”, que são bem restritos a algumas modalidades como o bike trial ou o BMX, ou até as bikes dobráveis. Mas, buscamos trazer diferentes aspectos técnicos dos aros mais usados no mercado nacional.

Um ponto de qualquer aro descrito aqui no blog, é que cada um tem o seu tipo de furação, que pode ser 32, 36 furos ou outros. Basta você saber para qual cubo irá usar o aro escolhido.

Outra questão é que não há um aro melhor do que o outro. Mas sim, o aro mais adequado para cada situação. O que vai determinar se um aro se sairá melhor é o tipo de pedalada e uso que você busca. Então, se você tem bem definido o uso que faz da sua bike, a escolha do aro ideal está a um passo.

Nós e nenhum fabricante – até agora – não recomendamos fazer adaptações do tipo: aro 27.5″ em bike para aro 26″ ou aro 27.5″ em bike para aro 29″. Cada bicicleta – 26”, 27.5”, 29” e 700c – e seus componentes são desenvolvidos e testados para uso apenas com equipamentos que se encaixem ao seu respectivo aro. As adaptações podem trazer riscos à bicicleta e a você.

Então já sabe, cada aro no seu quadro!

Conclusão: qual é o melhor aro para mim?

Além de avaliar tudo o que dissemos aqui e pensar sobre o assunto, você também pode fazer as seguintes perguntas para si:

  • Aonde vou pedalar?
  • Como pedalo?
  • Pretendo fazer passeios e trilhas diferentes das que faço, no futuro?

Estas são perguntas que, quando respondidas, também vão te orientar a fazer a escolha certa. E damos outra dica: veja se você consegue dar uma volta na bike de um amigo, ou da loja em que você sempre vai. Peça para testar uma bike com o aro pretendido para ver, na prática, como cada aro se comporta.

Depois de ler tudo isso, esperamos que não reste dúvidas sobre qual dos aros de bike escolher na hora de adquirir sua nova bicicleta. E já que você escolheu com tanto carinho os aros de bike, que tal protegê-la com o Bike Registrada? O cadastro é gratuito!

É hora de registrar sua bike em nosso sistema de rastreamento e segurança que já conta com mais de 180 mil inscritos. Com ele, você coloca sua bike em um sistema integrado às diversas lojas e órgãos de segurança pública parceiros da Bike Registrada, para localizá-la em caso de roubo e também evitar a compra de bicicletas roubadas. É gratuito! Registre-se