Para quem curte pôr a mão na graxa e fazer da garagem a sua oficina é preciso ter ferramentas de bike que dão conta do recado. Assim, fazer uma manutenção intermediária na bicicleta, seja depois de uma competição, ou assim que o velocímetro marcar mais de 100 km rodados, será moleza.

Ter os equipamentos certos para fazer qualquer serviço na bike é o primeiro passo para não estragar nada e nem se machucar tentando ajustar uma peça. Confira neste artigo diversas ferramentas intermediárias de bike, para ter em casa e montar sua oficina!

Confira 8 ferramentas de bike para fazer manutenções em casa

Kit de chave e extrator de cassete ou catraca

O cassete é um sistema de encaixe estriado, e a catraca utiliza ajuste de rosca. Por isso cada um deve ser removido e instalado somente com a ferramenta certa.

Mas para fazer a manutenção nestas peças, só é possível usando junto a chave de cassete, uma espécie de chave de boca com um pedaço de corrente na ponta. Ela serve para travar as engrenagens enquanto o cassete ou a catraca são destravados para remoção.

Chave de raios

É comum, principalmente no mountain bike, que as rodas saiam de alinhamento depois de vários pedais em trilhas, ou até que um raio quebre em um acidente. A chave de raio é necessária para fazer o reaperto em cada dessas peças finas.

Cada raio recebe uma tensão para deixar a roda centrada e rígida. Como existem várias espessuras de raios e de niples — as pecinhas de ficam no encontro do aro com o raio — há diferentes medidas de chaves.

A maioria das chaves de raio conta com até seis medidas, mas para rodas de carbono, por exemplo, o padrão muda e é preciso uma chave específica para o serviço. Por isso, confirme o tipo de niple antes de adquirir a sua chave!

Chave de guarda-chuva de roda

Essa ferramenta de bike com nome engraçado é muito importante, pois ela verifica se o alinhamento da roda ficou certo.

Ao colocar a peça no centro da roda, suas extremidades chegam até cada lateral. Caso o aro esteja torto ou mal alinhado, fica nítida a diferença de nível entre cada ponta do guarda-chuva de roda.

Torquímetro

O trabalho dessa peça é dar o aperto correto a cada parafuso da bike e evitar que peças sejam quebradas com o excesso de força colocado.

Você já deve ter observado que no guidão, canote, mesa e outras peças existem números seguidos das letras Nm. É justamente o limite de torque (força sobre a área), medido em Newton, que a peça aguenta!

Há tanto torquímetros digitais quanto os mecânicos de estalo, que são ajustados para “não funcionarem” depois do limite máximo definido neles. Bikes de fibra de carbono são mais frágeis ainda em relação aos apertos excessivos, e devem ser ajustadas só com essa ferramenta.

Bomba de suspensão

As bombas de suspensão são ferramentas de bike próprias para suspensões dianteiras a ar e amortecedores traseiros, em bikes full suspension, com esse sistema.

Não adianta querer improvisar a calibragem de cada suspensão com uma bomba para pneus, porque além de não funcionar, pode estragar a peça da bicicleta.

Medidor de desgaste de corrente

O medidor de desgaste evita que você troque a peça sem saber que ela ainda pode rodar por mais vários quilômetros, ou então usá-la até “virar poeira”.

Essas ferramentas de bike funcionam com uma “régua de nível” para a corrente, e constatam com precisão o quanto a peça está desgastada. Além disso, a troca da corrente muitas vezes demanda também a mudança da catraca ou cassete, e o mesmo instrumento também verifica isso.

Bomba ar de pé

As bombas de ar de pé são ferramentas de bike que não podem ficar de fora dessa lista já que são itens básicos em qualquer oficina que se preze. E não estamos falando só de aparência, e sim de funcionalidade.

Diferente da bomba de mão que tem baixo limite de calibragem para pneus, as bombas de pé conseguem encher pneus de bike de estrada, até incríveis 130 PSI. Além disso esse instrumento evita aquela ida ao posto de gasolina antes do pedal, logo pela manhã, quando seus amigos já estão com pressa para treinar!

Com as ferramentas de bike certas, e claro, conhecimento técnico, é possível fazer uma ótima revisão na bicicleta, sem ter que ir a um mecânico. Além da economia, o prazer de dar um trato na própria máquina não tem preço.

Receba sempre os conteúdos novos da Bike Registrada, em seu e-mail. Assine nossa newsletter!

Fonte da imagem: Flick