Você já viu as mountain bikes full suspension em alguma bikeshop ou alguém pedalando com uma delas, procurou saber o que são mas ainda não descobriu? Pois saiba que essas bicicletas têm muito mais do que apenas um visual diferente com duas suspensões.

Além da tradicional bike hardtail, conhecida também como rígida, no mundo do mountain bike, há outra categoria chamada de full suspension. Esse tipo de bicicleta é feito para determinados terrenos e tipos de pedal, e se subdivide por várias modalidades.

Se você ainda tem dúvidas sobre esse tipo de bicicleta, leia este artigo e conheça por completo as mountain bikes full suspension!

O que são mountain bikes full suspension?

De forma resumida, as mountain bikes full suspension são bicicletas com suspensão dupla, para suportar grandes impactos em trilhas e oferecer mais conforto ao pedal.

O quadro de uma bike full é feito em duas partes, ou melhor dizendo, em dois triângulos — o dianteiro e o traseiro. Essas duas peças são ligadas por pivôs — partes articuladas — com rolamentos ou não, que se movimentam quando o amortecedor traseiro absorve as pancadas na roda traseira.

Vale colocar que não existe um projeto único de desenho de quadros full suspension, e o amortecedor pode trabalhar em diversos ângulos. Cada marca tem seu próprio design, que oferece vantagens e desvantagens em determinadas situações de pedal.

Quais são os prós e contras das bicicletas full suspension?

Há ciclistas que dizem que depois que pedalaram com uma full, nunca mais voltaram a andar de rígida. Mas, cada caso é um caso, e para desvendar como uma mountain bike full suspension funciona na prática, deve-se levar em consideração seus pontos fortes e fracos.

Vantagens

  • oferece melhor amortecimento para pancadas nas duas rodas;
  • permite pedalar por terrenos extremamente técnicos e acidentados com maior facilidade;
  • deixa a bicicleta mais estável em descidas;
  • tem uma melhor leitura de terreno, mantendo as rodas mais tracionadas em trechos técnicos;
  • garante mais conforto para pedalar por longas distâncias, principalmente para maratonas;
  • conta com ajustes na suspensão e amortecedor, de acordo com o objetivo de pedal e peso do ciclista;
  • possibilita trava total das duas suspensões, para pedalar em locais mais planos.

Desvantagens

  • é mais pesada que uma bike hardtail;
  • traz ligeira perda de potência pelo efeito “bob”, quando se pedala e a bike “pula”;
  • tem custo elevado mesmo em modelos de entrada;
  • exige manutenção específica para a balança traseira, rolamentos e amortecedor;
  • em subidas, exige mais força no pedal, já que é mais pesada.

Quais são os tipos de bikes full?

Dentro dessa categoria de bicicleta, as mountain bikes full suspension são divididas em vários tipos, cada um para uma modalidade diferente.

XC

Mountain bikes full suspension para cross country são leves, velozes e possuem curso de suspensão pequeno, tanto na frente quanto atrás. Em geral, de 80mm a 100mm de curso é o padrão de uma bike XC full, já que esse tipo de pedal não realiza grandes saltos e precisa de maior estabilidade em alta velocidade.

Trail

Bicicletas trail possuem curso de suspensão maior — entre 120mm e 130mm. Essas bikes são voltadas para um uso mais intenso em trilhas, para fazer descidas em alta velocidade e até realizar alguns pulos. Apesar do curso de suspensão mais longo, são bikes que possibilitam subir morros e ladeiras íngremes com facilidade.

All Mountain/Enduro

Essas duas categorias de MTB têm semelhanças, por isso os modelos de mountain bikes full suspension para ambas modalidades ficam lado a lado. O curso de suspensão desse tipo de bike começa em 140mm e pode chegar aos 160mm.

Porém, essas bikes tem peso elevado, por conta do quadro resistente e suspensões maiores, feitas para aguentar saltos em alta velocidade e terrenos muito técnicos. Apesar de terem até 20 marchas, são mais limitadas para fazer subidas.

Downhill/Freeride

As categorias extremas do MTB exigem bicicletas full suspension com suspensão e amortecedor acima de 180mm de curso. Esse número é alto pois as modalidades são feitas em percursos cheios de pedras, buracos, descidas e terrenos que só cursos grandes de amortecimento permitem a passagem.

Bikes de Downhill e de Freeride são só para descer, já que o peso elevado, a geometria da bike e o curso longo das suspensões impedem um pedal em subida.

Claro que, quando falamos em bikes full suspension, há uma infinidade de modelos para todas as modalidades do MTB. Um modelo funciona melhor em um terreno enquanto outro não, por isso é essencial conhecer cada bike dessas.

Agora que você já descobriu boa parte das mountain bikes full suspension, é hora de testar alguma, afinal, nada melhor do que sentir a máquina nas trilhas, não é?

Veja mais artigos como esse sobre mountain bikes, além de outros conteúdos sobre o mundo da bicicleta. Siga a gente no Facebook, Instagram, Twitter e Youtube!