Não é de hoje que muitas mulheres têm escolhido o ciclismo como atividade cotidiana. Os motivos são muitos, desde benefícios para a saúde, facilidade de locomoção, a liberdade proporcionada pelo esporte e até mesmo o compromisso com o meio-ambiente.

A presença feminina é extremamente bem-vinda, democratizando o ciclismo e fazendo com que famílias inteiras possam curtir o pedal em conjunto. Nesse contexto de popularização do ciclismo entre as mulheres, no entanto, não podem ser desprezadas as diferenças e especificidades inerentes às questões físicas.

Não se trata, obviamente, de qualquer tipo de preconceito ou questão cultural, ao contrário. Estamos falando de aspectos práticos, que fazem com que uma bike projetada para o corpo feminino reduza a probabilidade de acidentes e até mesmo lesões motivadas por postura inadequada. As bikes para mulheres, portanto, são desenvolvidas tendo em conta todas as variáveis que podem interferir no desempenho e conforto durante a pedalada.

Neste post, vamos apresentar alguns fatores que devem ser levados em consideração durante a pesquisa e aquisição de bikes para mulheres. Boa leitura!

Bike feminina x bike convencional

Em uma comparação baseada estritamente em questões físicas, é fácil constatar que as mulheres possuem proporção corporal muito diferente dos homens. Assim é que, por exemplo, a longitude entre pernas e torso, o comprimento dos braços e mesmo a largura de ombros e quadris são muito diferentes entre os dois gêneros.

Via de regra, uma bicicleta dita “convencional” é projetada para uso pelo sexo masculino. Por isso, ao escolher bikes para mulheres deve-se priorizar os modelos desenvolvidos especialmente para elas, cujo planejamento considerou as diferenças físicas mencionadas. Assim, a ciclista evitará uma postura inadequada — forçada pelas medidas da bike — e, por consequência, reduzirá a chance de lesões e o desconforto ao pedalar.

Componentes das Bikes para mulheres

Grandes fabricantes já desenvolvem e comercializam bikes cujo quadro respeita as proporções femininas. Mas outros componentes do equipamento também precisam ser levados em consideração:

Selim

Como os ossos ísquios (que apoiam o corpo quando sentamos) são mais afastados nas mulheres, naturalmente selins mais largos são indicados para elas. Mesmo que o quadro não seja específico para o público feminino, procure trocar o selim para um modelo mais adequado à sua anatomia.

Guidão

Com ombros mais estreitos, é natural que as mulheres sofram ao utilizar os guidões das bikes convencionais, pois necessitam se debruçar sobre eles para poder conduzir a bicicleta. Essa postura, a propósito, é causa frequente da sensação de dormência nas mãos.

Alavanca de freio

As mãos menores exigem que as alavancas estejam mais próximas do guidão, de modo a evitar esforço extra e proporcionar a utilização correta do mecanismo. Nesse caso, basta realizar um ajuste para que a posição de frenagem esteja cômoda para a ciclista.

Tamanho de roda

Aqui, não se trata especificamente de um tamanho melhor de roda nas bikes para mulheres, mas uma questão de adaptação e combinação correta com o quadro mais adequado.

Até algum tempo, as bicicletas com aro 26 polegadas eram praticamente a única opção disponível. Por isso mesmo, ainda hoje, são as de tamanho mais comum. Depois, surgiram os modelos com 29 polegadas e por fim os intermediários, com 27,5 polegadas.

De forma geral, as bikes equipadas com rodas 26 polegadas proporcionam boa aceleração e são mais leves. Entretanto, pela menor superfície de contato com o solo, são piores na absorção de impactos e possuem menor aderência. Os modelos 29 polegadas, por sua vez, oferecem melhor dirigibilidade, mas perdem nos quesitos peso e aceleração. Já as bicicletas de aro 27,5 são um meio-termo entre as duas anteriores.

Nesse sentido, a dica é escolher o tamanho de roda cujas características sejam mais adequadas ao estilo e preferências da ciclista. O desafio, aqui, é encontrar um quadro feminino compatível, tarefa mais complicada se forem escolhidas rodas maiores, embora existam modelos com essa configuração.

Além dos itens citados, existem outros que devem ser avaliados ao escolher bikes para mulheres, como o tipo de suspensão (especialmente para praticantes de Mountain Bike). No entanto, a regra geral é entender que as mulheres são diferentes e isso precisa ser considerado na escolha da bicicleta. Por fim, deve-se levar em conta ainda o estilo de vida, as vestimentas e outras variáveis que podem afetar na decisão sobre que modelo utilizar para a prática do ciclismo.

Tomando os devidos cuidados e tendo atenção com as dicas mencionadas, você estará bem equipada para aproveitar o pedal com todas as vantagens que a atividade proporciona, reduzindo o risco de lesões e o desconforto ao pedalar.

Gostou do post? Então siga-nos nas redes sociais (Facebook, Youtube e Instagram) e fique sempre bem informado sobre as melhores dicas para quem ama pedalar!